Duas realizadoras, uma brasileira, outra dinamarquesa, acompanham uma actriz italiana e e o seu companheiro francês durante os nove meses de uma gravidez à beira de um ataque de nervos. O resultado, Olmo e a Gaivota, é documentário ficcionado. Ou ficção documental. Ou nem uma coisa nem outra.