Há 30 anos que as Guerrilla Girls andam a lutar pela igualdade de género e pela diversidade étnica na arte (e na vida em geral). Hoje, aqui e lá fora, vão surgindo alguns gestos de mudança – mas ainda há muito por fazer.