Inventou processos criativos na fotografia para os quais não existem nomes. A obra radical de Geraldo de Barros, um dos mais marcantes artistas da modernidade brasileira, está pela primeira vez em Portugal numa exposição individual. Tudo o que fez há muito, parece ter sido feito ontem.

Escritora e artista portuguesa a residir em Berlim, é um nome cada vez mais celebrado na arte contemporânea. Em Outubro apresenta as suas primeiras exposições individuais em Portugal. Vamos ouvir Grada Kilomba – e isso é olhar de frente para a história colonial, é olhar de frente para nós.