• O intérprete de Transformer contou à revista Dazed que uma mulher o chicoteou, despiu e violou aproveitando o facto de a sua performance, numa galeria de Los Angeles, exigir que permanecesse em silêncio com um saco de papel enfiado na cabeça.

  • Meio ano a provar, sessão de domingo após sessão de domingo, que há vida na Baixa para além dos bares, dos turistas e dos bares para turistas, e agora 50 filmes em dez dias: Porto/Post/Doc, festival internacional de cinema.

  • Entre estreias nacionais e filmes repescados, a edição inaugural do Porto/Post/Doc propõe uma programação inteligentíssima que funciona num espírito de intercâmbio.

  • O cinema dos Dardenne criou o seu “género”, com a sua coreografia e efeitos: eis Marion Cotillard, heroína da acção - moral.

  • Nem a marca inconfundível de Edgar Pêra consegue salvar Virados do Avesso de ser TV a fingir-se cinema.

  • Uma das velhas fantasias: em tempos (como estes) em que os políticos não oferecem grande esperança, chega um “puro”.

  • O espectador cinéfilo talvez não aprenda nada de muito novo a ver este filme, mas fica com algumas coisas para pensar.

  • A féerie decadente de Bertrand Bonello chega mais perto de Yves Saint-Laurent do que Jalil Lespert