• Com Tarrafal, apresentado a concurso no Porto/Post/Doc, o realizador conta uma mão-cheia de histórias do Porto que é a sua cidade adoptiva

  • Instituto que gere apoios públicos ao cinema diz que tem orçamento para cobrir “todos os compromissos deste ano”. Tutela previa em Outubro que eram precisos mais 2,2 milhões de euros.

  • Actor francês vai editar um disco e realizar uma série de concertos em homenagem a Barbara.

  • Ken Loach não mudou, mudaram o mundo, o cinema, a TV, a política. É o que há nele de mais admirável. O último filme, Eu, Daniel Blake, um documentário sobre a obra e um ciclo na Cinemateca mostram a crença profunda de um cineasta: não há realismo sem humanismo.

  • Ken Loach, realizador de Eu, Daniel Blake, Palma de Ouro de Cannes, falou sobre o seu compromisso com o realismo e com a vida das pessoas “reais”. É alguém que ainda considera o cinema como um instrumento de combate.

  • Cinema independente americano mostra-se no dia em que Trump é empossado. Dezenas de novos filmes intimistas, mas também sobre o Daesh ou a Guerra do Golfo, na programação.