Dois concertos do Festival Internacional de Música de Espinho demonstraram duas concepções distintas da música instrumental do século XIX e da primeira metade do século XX: a espectacularidade concertante por François Leleux e o intimismo da música de câmara por Alexander Kniazev e Giovanni Bellucci.

  • Dois concertos do Festival Internacional de Música de Espinho demonstraram duas concepções distintas da música instrumental do século XIX e da primeira metade do século XX: a espectacularidade concertante por François Leleux e o intimismo da música de câmara por Alexander Kniazev e Giovanni Bellucci.

  • Como era esperado, os dois primeiros dias de Festival Músicas do Mundo, em Porto Covo, ficarão na memória pela magnífica sessão de encontro entre a cultura persa e a anatoliana, vinda de Kayhan Kalhor e Erdal Erzincan. Dois instrumentos de cordas em diálogo, capazes de calar uma larga parte do largo principal.

  • Já centenário, continuava a participar em festivais de jazz tradicional em Nova Orleães, onde nasceu e morreu.

  • Iniciativa de abrir gratuitamente as portas do Museu Nacional Soares dos Reis às quintas-feiras à noite é bem aproveitada por moradores e visitantes. E aplaudida também.

  • A pianista luso-brasleira Maria João Pires, a celebrar 70 anos, estreia-se numa nova discográfica, a Onyx, com um álbum em que interpreta os Concertos para Piano e Orquestra n.ºs 3 e 4, de Ludwig van Beethoven.