Charles Bradley, génio da soul tardiamente revelado, partiu cedo de mais. Esperou uma vida inteira para chegar à música e deixou-nos clássicos imediatos. Em cada canção encontramos a sua paixão, a sua sabedoria e, acima de tudo, o seu perdão.

  • Charles Bradley, génio da soul tardiamente revelado, partiu cedo de mais. Esperou uma vida inteira para chegar à música e deixou-nos clássicos imediatos. Em cada canção encontramos a sua paixão, a sua sabedoria e, acima de tudo, o seu perdão.

  • O intérprete tinha 80 anos e do seu reportório fazem parte temas como Fado dos saltimbancos, Arraial e Fragata. "Canto quando me apetece", costumava dizer, e por isso resistia a espectáculos e discos.

  • Por detrás do projecto Homem em Catarse, e do guitarrista de Barcelos que lhe dá corpo, há um sentido literal: Viagem Interior, que agora chega às lojas, é uma alegoria sonora de um Portugal que vive sem correr mas também sem que o ouçam.

  • Projecto corre o país há três anos, mas só agora se apresenta na capital, no 20.º aniversário da orquestra. Este sábado, no Largo da Ajuda, às 19h.

  • Alex Cameron traz mais tragédia, mas agora em néon comercial.

  • Maria By Callas junta objectos pessoais da cantora, que foram reunidos pelo realizador e fotógrafo Tom Volf, que também assinou um documentário e um livro sobre a diva da ópera, para estarem expostos até Dezembro no La Seine Musicale.

  • Celebrada como revolucionária do flamenco, é, aos 23 anos, uma das mais fulgurantes revelações da música espanhola dos últimos tempos. Lós Angeles, soberbo disco de estreia gravado com Raül Refree, trá-la a Portugal pela primeira vez, ao Theatro Circo, em Braga.