Literatura

Todos os tópicos

Uma mulher, professora de escrita, ouve as histórias de quem a rodeia e o romance constrói-se a partir dessa condição de ouvinte. Depois de umas memórias polémicas, Rachel Cusk regressa com um romance sobre o que é ser anónimo, quase invisível, para se questionar a si e à ideia de romance.

  • Uma mulher, professora de escrita, ouve as histórias de quem a rodeia e o romance constrói-se a partir dessa condição de ouvinte. Depois de umas memórias polémicas, Rachel Cusk regressa com um romance sobre o que é ser anónimo, quase invisível, para se questionar a si e à ideia de romance.

  • A evidência de elementos islâmicos na Divina Comédia pode ser apenas a ponta do icebergue de um contributo muito maior da Península Ibérica mourisca à Europa do que aquele que se conhece.

  • APEL assinou protocolo com a Câmara de Lisboa para os próximos três anos. A feira cresceu e espera meio milhão de visitantes.

  • How to Murder Your Life são as memórias de uma escritora de 34 anos que sobreviveu às drogas e à indústria da beleza nas melhores revistas do mundo. Cat Marnell ainda está viva e também conta a história da obsessão dos media pelas histórias na primeira pessoa e por mulheres destruídas.

  • Comer e beber é o tema do número nove da Granta portuguesa, que chega às livrarias no dia 26. Uma edição ilustrada por André Carrilho, novo capista permanente da revista dirigida por Carlos Vaz Marques.

  • Portugal é o país convidado da Feira do Livro de Madrid que começa a 26 de Maio. A programação foi apresentada esta quarta-feira pelos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Cultura.

  • Lydia Davis, Dave Eggers, Adonis, Herta Müller e Juan Gabriel Vasquez integram as antologias da Freeman’s. É a nova revista literária fundada por John Freeman, ex-director da Granta. O terceiro número acabada de sair nos Estados Unidos, e trata da Casa.

  • Parece que projectamos os medos para o futuro e falamos com saudade do passado – não só o recente, antes do irromper da crise financeira, mas principalmente do mais longínquo. Em alturas de desordem, quando não parece existir confiança num rumo, podem traçar-se utopias.