A 31.ª edição do Festival de Almada apresentou 30 espetáculos, 23 dos quais peças de teatro, e iniciativas paralelas como concertos, colóquios, sessões de cinema e tertúlias, num total de 139 sessões.

Tínhamos saudades de Emma Dante: faz-nos muita falta este teatro desassombrado. As Irmãs Macaluso encerra hoje o 31.º Festival de Almada com um mergulho em apneia numa paisagem escura e pobre, mas habitada por um imenso desejo de vida.

Dois manifestos, cada um à sua maneira, sobre a arte e a sociedade portuguesas, um dos quais parte do trabalho de um músico desaparecido; e o outro se faz acompanhar de música ao vivo.

As duas peças de Romina Paula deixam adivinhar o que é a relação de uma cena viva com uma cidade, aqui Buenos Aires, em convulsão.