“Eu não guardo memória” foi a forma como o ex-gestor da PT respondeu a quase todas as perguntas difíceis. Aquele que já foi considerado o “melhor CEO” não se desviou um milímetro do guião evasivo.