Júlio de Almeida foi e é do MPLA. Mas está desiludido. E vai daí agarrou-se à ficção para com as armas da literatura se entregar a um ajuste de contas com a realidade.

  • Júlio de Almeida foi e é do MPLA. Mas está desiludido. E vai daí agarrou-se à ficção para com as armas da literatura se entregar a um ajuste de contas com a realidade.

  • Um livro com humor, orgulho da mata e esperança, escrito por um homem cuja voz chegou a ser omnipresente em Angola – o comandante Juju. O antigo porta-voz das FAPLA, é hoje simplesmente Júlio de Almeida, integrante da geração da utopia que ficciona algum do seu desencanto sem cair na amargura.

  • South And West: From a Notebook recupera notas de uma viagem a Sul da escritora Joan Didion, em 1970, para tentar entender o que era a América. Mais de quatro décadas depois, no Sul continua a prevalecer preconceito, segregação, conservadorismo. O Sul resiste ao contágio da Costa Leste.

  • Os relatos de Em Viagem pela Europa de Leste são um testemunho imprescindível, não só para compreender a história do século XX, mas também para confirmar a genialidade de Márquez.

  • Demora até que Coração Mais Que Perfeito se liberte das fragilidades de um primeiro romance.

  • Livraria que existe desde 1840 e é a segunda mais antiga de Lisboa tem agora um bar e uma nova sala dedicada aos livros raros e antigos.

  • Autora britânica forjou registos na paróquia de que o pai era responsável ainda durante a adolescência. Em 2017 passam 200 anos sobre a sua morte.

  • O escritor é o autor de Morte em Jericó e de Desaparecida no Bosque, publicados nos anos 90 pela Gradiva.