O mundo das séries nas nomeações dos Emmys: Será esta temporada atípica de TV o ano do streaming?

Mandalorian, The Crown e WandaVision , Ted Lasso, Queen’s Gambit e Mare of Easttown. As mais nomeadas num ano dominado (para já) pela Netflix, Disney+ e HBO. Nomeações anunciadas na tarde desta terça-feira em Los Angeles.

,Mandalorianos
Fotogaleria
The Mandalorian
,A coroa
Fotogaleria
The Crown
,Beth Harmon
Fotogaleria
The Queen's Gambit
,Apple TV
Fotogaleria
Ted Lasso
,HBO
Fotogaleria
I May Destroy You
emmys,disney,televisao,culturaipsilon,amazon,apple,
Fotogaleria
The Flight Attendant
,Daphne Bridgerton
Fotogaleria
Bridgerton
emmys,disney,televisao,culturaipsilon,amazon,apple,
Fotogaleria
Lovecraft Country
,Marvel Studios
Fotogaleria
WandaVision
,HBO
Fotogaleria
Mare of Easttown
emmys,disney,televisao,culturaipsilon,amazon,apple,
Fotogaleria
Pose
emmys,disney,televisao,culturaipsilon,amazon,apple,
Fotogaleria
This is Us
,The Underground Railroad
Fotogaleria
The Underground Railroad
,The Handmaid's Tale - 4ª temporada
Fotogaleria
The Handmaid's Tale

Será 2021 o ano tira-teimas? Para quem olhar para prémios da indústria norte-americana como os Emmys para fazer leituras sobre o estado do mundo - neste caso, da televisão -, as nomeações anunciadas esta terça-feira apresentam as habituais dualidades entre números e prémios de facto, entre prestígio e popularidade, e sobretudo entre, claro, streaming e televisão linear. A pandemia atrasou séries, aumentou subscrições, insuflou audiências e este ano as séries mais nomeadas são do streaming. Este é o cenário. Será este o ano de The Crown, da Netflix, na ausência de Succession, do cabo premium da HBO, no Drama? Este já é o ano com menos nomeados da TV generalista de sempre na comédia (uma, para Black-ish) perante sucessos virais como Ted Lasso, da Apple TV+. E na categoria de séries limitadas, lá estão as febres de WandaVision, The Queen’s Gambit e o prestígio de Mare of Easttown e os temas fortes de I May Destroy You ou The Underground Railroad. A marca do consumo em streaming está em todas.

Entre Los Angeles e Nova Iorque, abraçando de costa a costa um país onde se faz muita da televisão mais consumida e internacional do mundo, os actores Ron Cephas Jones e Jasmine Cephas Jones, de This is Us, acompanhados pelo presidente da Academia de Artes e Ciências Televisivas Frank Scherm, revelaram os nomeados para os 73.ºs Emmys. Celebram a televisão (esmagadoramente americana, ignorando feitos britânicos como It’s a Sin mas reconhecendo a conterrânea I May Destroy You) feita “no ano mais desafiante” de que Frank Scherm tem memória.

Foi o ano em que a pandemia atrasou a terceira temporada da grande vencedora da categoria de Drama de 2020, Succession, deixando o campo aberto para velhos rostos como This Is Us, solitária entrada de um generalista, ou The Handmaid’s Tale, a única série (da Hulu, plataforma não disponível em Portugal e cuja série passa por cá no streaming Nos Play) de streaming que ganhou o mais cobiçado Emmy. Stranger Things, Better Call Saul, Ozark ou Killing Eve também viram as suas filmagens interrompidas pela covid-19. Há uma aberta para uma mudança da guarda, mas que movimento vai proteger?

Agora The Crown, no capítulo Diana e Thatcher, e The Mandalorian, a aventura Star Wars com um herói mascarado e um bebé Yoda que já vai na segunda temporada, são as séries dramáticas mais nomeadas, com 24 menções cada. WandaVision, a série limitada da Marvel que com a sua ode à história das sitcom apaixonou parte do público confinado no Inverno, é a terceira mais nomeada com 23 candidaturas. A primeira é um baluarte Netflix, o serviço de streaming com mais assinantes do mundo mas com zero Emmys principais, as duas últimas são as armas com que Disney+ juntou cerca de 100 milhões de assinantes num só ano de existência.

Ainda assim, a HBO é o canal com mais nomeações, 130, embora preenchidas com muitas das suas produções exclusivas para o serviço HBO Max (como Hacks, nomeada para Melhor Comédia e categorias de actriz). A Netflix segue-se-lhe com 129, com a Disney+ na peugada com 71 nomeações.

Nas principais categorias, está muito do que foi este ano no “mundo das séries” que por vezes se confunde com o que é a televisão actualmente: sucessos de audiências como Bridgerton, o poder do reconhecimento das sete nomeações nas categorias de actuação para The Crown e oito para Handmaid's Tale, um recorde de 20 nomeações para uma séries "feel good" como Ted Lasso ou a menção a Pretend It's a City no documentário em tempo de pandemia, séries moldadas pelo streaming e a reacção rápida como Allen vs. Farrow e, claro, as companhias nocturnas ou em clips para digerir o fim do Trumpismo ou o confinamento dos talk-shows domésticos de Trevor Noah, Steven Colbert ou John Oliver.

As surpresas e as ausências

O argumento desta história televisiva de 2021 podia vir sem surpresas - foi uma temporada atípica em que se sabia que a força dos “streamers” era grande e que a sua linha de montagem esteve à altura da procura. A vencedora total da comédia no ano passado, Schitt’s Creek, terminou e o rosto das nomeações na sua categoria seria sempre diferente. Mas ainda assim lá veio a surpresa, com Emily in Paris, uma série Netflix que desagradou à crítica e se tornou uma piada quanto às nomeações dos polémicos Globos de Ouro, na lista de candidatos ao prémio de Melhor Comédia.

Também há sempre ausências de nomeados de prestígio como The Good Lord Bird, de James McBride e Ethan Hawke, mas depois também há os dilemas próprios do momento: Small Axe, a tour de force de Steve McQueen feita televisão em forma de cinco filmes para a Amazon sobre raça e negritude, era um dos favoritos na competitiva categoria das “séries limitadas”, mas foi ignorada como se pudesse esperar pelos Óscares para ser reconhecida (teve uma nomeação, na Fotografia). É um dos mais evidentes artefactos da mudança, da fluidez de fronteiras entre suportes e géneros num ano em que a versão televisiva do popular musical da Broadway Hamilton para a Disney+ teve 12 nomeações.

Procurar as surpresas e os “snubs” à americana é um sintoma de uma temporada em que apesar do abrandamento da produção devido à covid-19, ainda há muitos títulos para os quais se procura a supérflua justiça de uma nomeação para os Emmys. Sobretudo na categoria das séries limitadas, uma das mais interessantes dos últimos anos e onde, apesar das aparências, as produções do streaming nunca ganharam. Será esta temporada atípica de televisão o ano do streaming?

A cerimónia de entrega dos prémios decorre a 19 de Setembro (madrugada de segunda-feira, 20 de Setembro, em Portugal) e terá como anfitrião Cedric the Entertainer, que sucede no cargo a Jimmy Kimmel.

Nomeados para os Emmys nas principais categorias

Melhor Série Dramática

Melhor Actor em Série Dramática

Melhor Actriz em Série Dramática

  • Uzo Aduba, Terapia
  • Olivia Colman, The Crown
  • Emma Corrin, The Crown
  • Elisabeth Moss, The Handmaid’s Tale
  • Mj Rodriguez, Pose
  • Jurnee Smollett, Lovecraft Country

Melhor Actor Secundário em Série Dramática

  •  Michael K. Williams, Lovecraft Country
  • Tobias Menzies, The Crown
  • Bradley Whitford, The Handmaid’s Tale
  • O-T Fabengle, The Handmaid’s Tale
  • Max Minghella, The Handmaid’s Tale
  • Giancarlo Esposito, The Mandalorian
  • John Lithgow, Perry Mason
  • Chris Sullivan, This Is Us

Melhor Actriz Secundária em Série Dramática

  •   Gillian Anderson, The Crown
  •   Madeline Brewer, The Handmaid's Tale
  •   Helena Bonham Carter, The Crown
  •   Emerald Fennell, The Crown
  •   Ann Dowd, The Handmaid’s Tale
  •   Yvonne Strahovski, The Handmaid's Tale
  •   Samira Wiley, The Handmaid’s Tale
  •   Aunjanue Ellis, Lovecraft Country
     

Melhor Série de Comédia

Melhor Actor em Série de Comédia

Melhor Actriz em Série de Comédia

  • Jean Smart, Hacks
  • Kaley Cuoco, The Flight Attendant
  • Tracee Ellis Ross, Black-ish
  • Allison Janney, Mom
  • Aidy Bryant, Shrill

Melhor Actor Secundário em Série de Comédia

  • Kenan Thompson, Saturday Night Live
  • Carl Clemons-Hopkins, Saturday Night Live
  • Bowen Yang, Saturday Night Live
  • Jeremy Swift, Ted Lasso
  • Brett Goldstein, Ted Lasso
  • Brendan Hunt, Ted Lasso
  • Nick Mohammed, Ted Lasso
  • Paul Reiser, The Kominsky Method

Melhor Actriz Secundária em Série de Comédia

  • Hannah Einbinder, Hacks
  • Kate McKinnon, Saturday Night Live
  • Cecily Strong, Saturday Night Live
  • Aidy Bryant, Saturday Night Live
  • Rosie Perez, The Flight Attendant
  • Juno Temple, Ted Lasso
  • Hannah Waddingham, Ted Lasso

Melhor Série Limitada

Melhor Actor em Série Limitada

  • Hugh Grant, The Undoing
  • Paul Bettany, WandaVision
  • Lin-Manuel Miranda, Hamilton
  • Leslie Odom Jr., Hamilton
  • Ewan McGregor, Halston

Melhor Actriz em Série Limitada

  • Kate Winslet, Mare of Easttown
  • Anya Taylor-Joy, The Queen’s Gambit
  • Michaela Coel, I May Destroy You
  • Elizabeth Olsen, WandaVision
  • Cynthia Erivo, Genius: Aretha

Melhor Actor Secundário em Série Limitada

  • Evan Peters, Mare of Easttown
  • Jonathan Groff, Hamilton
  • Daveed Diggs, Hamilton
  • Anthony Ramos, Hamilton
  • Paapa Essiedu, I May Destroy You
  • Thomas Brodie-Sangster, The Queen’s Gambit

Melhor Actriz Secundária em Série Limitada

  • Julianne Nicholson, Mare of Easttown
  • Kathryn Hahn, WandaVision
  • Jean Smart, Mare of Easttown
  • Renée Elise Goldsberry, Hamilton
  • Moses Ingram, The Queen’s Gambit
  • Phillipa Soo, Hamilton

Melhor Documentário ou Série de Não-Ficção

Melhor Programa de Variedades/Talk-Show

  • Last Week Tonight With John Oliver
  • The Late Show With Stephen Colbert
  • Jimmy Kimmel Live!
  • The Daily Show with Trevor Noah
  • Conan

Correcção: lista de nomeados de Melhor Drama revista retirando entradas sobre O Falcão e o Soldado do Inverno e Terapia