Chefs on Fire: festival chega mais cedo com pop up em Almada

Este ano, o festival de junta chefs, concertos e cozinha de fogo chega mais cedo com uma versão pop up, mais intimista e reduzida, em Almada.

Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes
Chefs On Fire 2021�
Fotogaleria
Chefs On Fire 2021 DR/José Fernandes

É uma versão mais reduzida, intimista e barata, com dois chefs e dois concertos por dia, que promete levar “ao país inteiro” o conceito do festival gastronómico dedicado à cozinha de fogo que, em Setembro, regressa a Cascais para uma quarta edição num cartaz recheado de novidades, chefs de renome e música ao vivo.

O Chefs on Fire Pop Up estreia-se em Almada, no Jardim do Rio, entre 15 e 17 de Julho, com vistas para o Tejo, “menus inéditos ao almoço e ao jantar” preparados por “chefs em ascensão”, e num “formato exclusivo” de lotação limitada a 300 pessoas por refeição.

Ao contrário do festival original, acessível ao longo de todo o dia, neste novo formato há que escolher entre almoço e jantar, preparado por uma dupla diferente de chefs em cada dia do evento, ao som de um concerto. A entrada custa 30€, com direito a quatro doses de comida (carne, peixe, vegetariano e sobremesa), enquanto as bebidas são pagas à parte.

No dia 15, sexta-feira, cozinham Manuel Liebaut e Ronald Sim (ambos do restaurante Fogo) ao som de Budda Power Blues (almoço) e Filipe Karlsson (jantar). Já no sábado, o menu fica a cargo dos chefs Marlene Vieira (que, no final de Março, abriu um novo restaurante, Marlene, em Lisboa) e André Cruz (que ascendeu à liderança do Feitoria após a saída de João Rodrigues), com concertos de Cassete Pirata (almoço) e Frankie Chavez (jantar). Para o último dia, a refeição fica a cargo de Shay Ola (Queimado) e Anaís Almeida (Kittchenette), acompanhados pela música de Tiago Nacarato (almoço) e Benjamim (jantar).

Este é o primeiro pop up do conceito Chefs on Fire, “pensado para encaixar em todos os locais deslumbrantes ou improváveis do país” e que, anunciava a organização em Abril, promete chegar ao “país inteiro”, com cartaz e novas cidades a serem “anunciados em breve”.

“Este formato surgiu da vontade, por um lado, de deixar o Chefs on Fire seguir o seu caminho natural de crescimento sem que isso implicasse alterar a essência do festival”, afirma Gonçalo Castel-Branco, criador e produtor executivo do projecto, em comunicado. “Quando visitámos o Jardim do Rio já com este formato em mente, percebemos que era o primeiro local perfeito para receber o Pop Up e um dos muitos tesouros escondidos em Almada.”

Chefs on Fire regressa em Setembro com novidades

Para Setembro, está marcado o regresso do Chefs on Fire a Cascais, numa quarta edição recheada de novidades, “a última exclusivamente em Portugal”. A internacionalização do evento foi, precisamente, uma das novidades lançadas em Abril, ainda sem revelar destinos além-fronteiras nem datas. “O Festival já há muito tempo que captou atenção internacional e temos vindo a ser abordados ao longo dos anos por vários parceiros investidos na exportação do Chefs on Fire e sentimos que este é o momento”, anunciava apenas o responsável em comunicado.

Além de vários chefs consagrados do panorama gastronómico português, o festival aposta este ano em vários nomes em ascensão, num “esforço consciente de incluir equipas que estão em crescimento, mas já com uma qualidade técnica incrível e que merecem ver o seu talento partilhado com o público”. O cartaz surge ainda com um “número recorde de mulheres”.

Repartido por dois dias, no fim-de-semana de 17 e 18 de Setembro, a quarta edição do Chefs on Fire traz, desta vez, os cozinheiros divididos por pratos de carne, peixe, vegetariano e sobremesas, além de uma nova secção de “bites”, “resultado de uma curadoria intensa no último ano dos melhores restaurantes do país que são convidados a integrar a programação e a recriar um prato icónico do seu menu, preparado no fogo”. Ao palco, sabe-se que subirão Carolina Deslandes, David Fonseca, Bruno Pernadas e Luísa Sobral, entre outros nomes por anunciar.

Quanto à gastronomia, o elenco é de luxo. No sábado, Alexandre Silva (Loco e Fogo), Vasco Coelho Santos (Euskalduna Studio), Rodrigo Castelo (Taberna Ó Balcão), Louise Bourrat (BouBou’s) e Pedro Forato (Prado Mercearia) preparam os pratos de carne; enquanto o peixe fica a cargo dos chefs João Oliveira (Vista), Lucas Azevedo (Praia no Parque), Kiko Martins (O Boteco, O Talho, A Cevicheria) e Nikita Polido (Celmar); a liderar a confecção das refeições vegetarianas vão estar Nuno Castro (Fava Tonka), Bruno Caseiro (Cavalariça) e Alana Mostachio (VDB Bistronomie); e as sobremesas ficam nas mãos dos chefs Márcio Baltazar (Ocean) e Jüliana Penteado (Jüliana Penteado Pastry).

No domingo, é a vez de Henrique Sá Pessoa (Alma), Maurício Ghiglione (Belos Aires), Bruno Rocha (Bairro Alto Hotel), Hugo Brito (Boi-Cavalo) e Marcella Ghirelli (Comida Independente) confecionarem os pratos de carne; já no peixe estarão João Rodrigues (ex-Feitoria), Noélia Jerónimo (Noélia e Jerónimo), Pedro Almeida (Midori) e Tiago Penão (Kappo). A comida vegetariana ficará a cargo de David Jesus (Seiva), Vítor Adão (Plano) e Ana Leão (Musa); enquanto as sobremesas do último dia do festival são da responsabilidade dos chefs Carlos Fernandes (Azor Hotel) e Leonor Sousa Bastos (Flagrante Delícia).

Sugerir correcção
Comentar