Este conteúdo é reservado a utilizadores registados

Entrar

Touriga Nacional, a casta-bandeira

25 de abril de 2021
19:00

É a estrela mais brilhante na constelação das castas tintas portuguesas, impondo-se pela sua qualidade, versatilidade e personalidade. Há, porém, quem veja nela uma uva demasiado impositiva, excessivamente dominadora, podendo mascarar a identidade de uma região. A Touriga Nacional é tudo isso e mais ainda. Certo é que ninguém pode, honestamente, colocar em causa a sua excelência. A consistência qualitativa desta variedade, na vinha e na adega, é muito grande. Tem as suas fragilidades, como todas, mas o resultado final é, geralmente, muito bom, em diferentes tipos de solos e distintas condições climáticas. É versátil também, faz belos tintos, rosés e bases brancas para espumante. Muda, naturalmente, a sua face, consoante está no xisto ou no granito, no litoral ou no interior, nos vales ou nas encostas das serras. Mas nunca perde a sua forte identidade, originando vinhos imediatamente reconhecíveis nos seus aromas e sabores. Se é ou não a melhor casta do país, é discussão que não tem fim. Mas é a variedade portuguesa que maior reconhecimento internacional alcançou e a mais bem colocada para representar, enquanto porta-estandarte, a grandeza vinícola de Portugal. Nesta prova exclusiva do Portugal à Prova, provamos os vinhos Pedra Cancela Touriga Nacional tinto 2014, Cortes de Cima Touriga Nacional tinto 2018, Vallado Touriga Nacional tinto 2017 e CH by Chocapalha Touriga Nacional 2018.

  • Prova por
  • Manuel Carvalho

    Manuel Carvalho

    Director do Público

Mais episódios

×