Plano Ferroviário Nacional: metade dos contributos é sobre o mapa da rede

Grupo de trabalho recebeu 318 contributos, que vão de simples desabafos a estudos técnicos com dezenas de páginas. E acentua a necessidade de obter consensos para que o país se reveja o mais possível no documento final.

Foto
Nuno Ferreira Santos

A primeira fase da discussão do Plano Ferroviário Nacional terminou em Setembro com a recepção de 318 contributos que se caracterizam por uma grande heterogeneidade: vão desde o “acho muito bem que se faça um plano ferroviário”, a desabafos sobre o mau serviço da CP, à exigência de novas vias férreas, a reflexões estratégicas sobre a mobilidade, até à apresentação de projectos muito bem documentados.