A informação foi divulgada pela associação ambientalista Zero, que registou que foi ultrapassada quantidade máxima admissível por dia de partículas suspensas no ar logo no dia seguinte à deflagração dos incêndios em Pedrógão Grande — o que pode ter efeitos nocivos para a saúde.