O que acontece quando os Capitão Fausto se juntam a Luís Severo?

Não é a primeira vez que colaboram mas nunca o fizeram com um concerto completo, Capitão Fausto e Luís Severo juntos em palco. Vai acontecer esta sexta-feira e há mais eventos em que a aposta é em parcerias de músicos portugueses.

Fotogaleria
Capitão Fausto juntos e ao vivo com... paulo pimenta
Fotogaleria
Luís Severo. Esta sexta-feira no Titanic sur Mer, ao Cais do Sodré, em Lisboa neuza rodrigues

Capitão Severo. Melhor dizendo, Capitão Fausto com Luís Severo juntos e ao vivo esta sexta-feira no Titanic Sur Mer, o espaço nocturno que é propriedade do músico e artista plástico Manuel João Vieira (Ena Pá 2000), no Cais do Sodré, em Lisboa. Não é uma novidade ver esta parceria a actuar em conjunto mas será o primeiro concerto completo que dão juntos. Ao PÚBLICO, Severo não esconde o entusiasmo e garante que vai ser bastante diferente dos concertos “a que estamos habituados”.

Este concerto surge pouco tempo depois dos Capitão Fausto terem lançado o seu quarto álbum, A Invenção do Dia Claro, e de Luís Severo ter lançado O Sol Voltou. O cantautor explica que haverá oportunidade de “passar pelos discos novos, sem esquecer tudo o que está para trás” e diz que “as principais diferenças”, por comparação com outros momentos em que actuaram em conjunto, residem “numa maior existência de duetos, arranjos um pouco diferentes dos discos e maior duração do concerto em si, onde estaremos sempre todos em palco.”

Domingos Coimbra, baixista dos Capitão Fausto, adianta também ao PÚBLICO que não vão estar “tão preocupados em seguir os alinhamentos clássicos”. “A escolha das canções esteve mais ligada às favoritas de cada um e à vontade de tocar as que têm maior valor simbólico — como Canto Diferente, que foi a primeira música que tocámos com o Luís, ou Alvalade Chama por Mim", referência ao bairro onde passaram grande parte das suas vidas.

O baixista explica que estes concertos — neste caso o segundo ano do ciclo Heineken Convida — “oferecem uma perspectiva refrescante” das músicas e garantem “oportunidades únicas”. “Vamos ter o privilégio de, por momentos, ser a banda do Luís e aproximar-nos mais dos arranjos que ele tem nas versões de estúdio das suas canções”, remata.

“No caso de Capitão Fausto, a guitarra e a voz do Luís encontram um lugar muito especial e ele e o Tomás [vocalista dos Capitão Fausto], enquanto se dividem a cantar, dão uma vida diferente às nossas canções que seguem alguns caminhos mais relaxados”, acrescenta o baixista.

Duetos Improváveis

Este novo formato de concertos tem vindo a ser explorado em Portugal. Exemplos são o Eléctrico, programa de música ao vivo da RTP1 com curadoria da rádio Antena 3 que coloca dois artistas ou bandas nacionais em dois palcos diferentes a actuar frente a frente, ou em datas especiais. “Ainda na semana passada houve um concerto do Luís com o Filipe Sambado”, relembra Domingos, referindo-se à data dupla que os músicos tiveram na Casa Independente, espaço cultural no Largo do Intendente, em Lisboa.

O baixista disse que estes concertos inéditos “aumentam o interesse do público porque podem ver algo diferente e novo nos artistas que já conhecem.” “A música portuguesa tem tido muitas colaborações ao vivo, seja a Lena d'Água com o Primeira Dama ou, agora, o Bruno Pernadas com o Moullinex. É fixe para sair da rotina clássica de concertos”, conclui o músico enquanto recorda o concerto conjunto da sua banda com Samuel Úria, em Outubro de 2016, no LX Factory, durante o festival de humor e música, The Famous Fest.

Também a Musa, marca de cerveja artesanal portuguesa, e a Jameson têm promovido o evento Casório, “um conceito simples: se algo já soa bem sozinho, juntos pode soar ainda melhor”, como explica Joaquim Albergaria, baterista na banda Paus e um dos organizadores do evento, cuja primeira edição foi em Abril deste ano. “A ideia era tirar as famílias musicais da sua zona de conforto e levá-las ao extremo, como juntar rock com hip hop ou electrónica. Levar as pessoas a pensar ‘nunca imaginei que juntos ficassem tão tão bem’”.

Até ao momento, este projecto já casou, na primeira edição, no dia 5 de Abril, o próprio Joaquim Albergaria com Moullinex, Norberto Lobo com Prétu (aka Chullage) (24 de Abril) e Carlão com Tó Trips (1 de Junho).

Joaquim admite que uma das maiores motivações para fazer este projecto era “promover alguma promiscuidade que faltava na cena musical portuguesa” e “descobrir como é que os fãs de diferentes géneros reagem aos estilos de cada artista”.

“Sinto que [a adesão a este tipo de eventos] é sinal de que há mais público, interesse e capacidade para responder a esse interesse”, explica. “Acredito que, no fim, vai ajudar a criar mais fãs de uma coisa que nem sabiam que gostariam. E isso é fixe.”

A próxima edição de Casório vai juntar Xinobi com Marta Ren, no dia 5 de Julho, no Pátio Club Rugby, no Porto.

Depois de Capitão Severo esta sexta-feira, cujos bilhetes já estão esgotados, o Heineken Convida continua no dia 31 de Julho com TMB, fusão de HMB e Tiago Bettencourt no Jardim na Villa, no Algarve, no dia 16 de Agosto com os Ridlly (DJ Ride e Holly) no Danau Beach Bar, no Baleal e, novamente, com os TMB e os Capitão Severo na Praia no Parque, em Lisboa, a 5 de Setembro e no dia 20 no Plano B, no Porto.