• O Festival Músicas do Mundo despediu-se de Porto Covo com as cativantes actuações de Gustavito e de Waldemar Bastos. E viajou ainda ao american dream com escala na Coreia do Sul.

  • A despedida trouxe mais um concerto para recordar, o dos Meatbodies, e uns deliciosos farsantes chamados Chupáme El Dedo. A décima edição foi fiel ao espírito de um festival pequeno em dimensão mas de espírito imenso.

  • Ao segundo álbum, Résistance, o rock dos malianos Songhoy Blues ganha uma expressão mais vasta e traz consigo um Iggy Pop que ajuda a conseguir a atenção para a vida no Sahara.

  • O novo disco de Carmen Souza e Theo Pascal é uma pequena jóia de alegria e criatividade.

  • Os Graveyard eram a banda mais esperada e foram os responsáveis pela enchente na noite de sábado, a penúltima do festival barcelense. Assinaram um concerto atípico, uma bolsa conservadora entre o arrojo e partilha de Yussef Dayes, Sly & The Family Drone ou Moor Mother.

  • Na primeira noite do 19.º Festival Músicas do Mundo, dois concertos para guardar: Mohammad Reza Mortazavi soou a uma armada de percussionistas e Leyla McCalla cantou histórias do Haiti.