Já sabemos o que vai acontecer no Bons Sons no próximo Verão

Foi apresentada a programação do festival de Cem Soldos, Tomar. Entre 9 e 12 de Agosto, lá se apresentarão, entre muitos outros, Dead Combo, Salvador Sobral, PAUS, Slow J, Linda Martini, Zeca Medeiros ou Sara Tavares.

O Bons Sons implantou-se na última década como um dos destaques no roteiro de festivais portugueses
Foto
O Bons Sons implantou-se na última década como um dos destaques no roteiro de festivais portugueses Miguel Madeira

De a 9 a 12 de Agosto. São estas as datas da festa. Será nestes quatro dias de Verão que, uma vez mais, uma aldeia se encherá de gente, multiplicando várias vezes os mil habitantes de todo o ano (32 mil entradas em 2017). Que aldeia? Por esta altura, doze anos depois da primeira edição, a resposta já não será difícil de dar. De 9 a 12 de Agosto Cem Soldos, Tomar, acolhe novamente o Bons Sons, festival firmemente implantado no roteiro português pelo seu carácter de obra comunitária e pelo cartaz que, ano após ano, serve de caleidoscópio do panorama musical português.

A edição 2018 foi apresentada esta sexta-feira e já sabemos com o que contar. Por ali passará a música dos Dead Combo e o seu novo Odeon Hotel, ali ouviremos a voz de Salvador Sobral, de Selma Uamusse, Sara Tavares e Mazgani. Em Cem Soldos estará a bateria siamesa dos Paus e o seu álbum mais recente, o celebrado Madeira, o rock catártico dos Linda Martini, a ginga soul dos Cais do Sodré Funk Connection, a revelação hip hop, já certeza, de nome Slow J, a revelação inclassificável que assina como Conan Osiris e esses artífices da canção ancorados na folk e no rock chamados Sean Riley & The Slowriders. São apenas alguns das dezenas de nomes que passarão pelos vários palcos dispostos nas ruas, no campo, na igreja ou nos largos da aldeia – apenas, porque entre roques, popes, hip hops, psicadelismos, jazz, fados, electrónicas, tradições respeitosas e recontextualizadas, há muito mais: Lena d’Água acompanhada por Primeira Dama e Banda Xita, Zeca Medeiros, 10 000 Russos, Mirror People, Homem em Catarse, Vozes de Manhouce com Isabel Silvestre, Norberto Lobo ou Moonshiners.

Como nas últimas edições, a programação na Igreja de São Sebastião é feita em colaboração com A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria. Além da música, as parcerias com a Materiais Diversos e com a Curtas em Flagrante asseguram que também as artes performativas e o cinema estarão representados no Bons Sons.

Como novidade em relação a edições anteriores, surge um novo palco, instalado num anfiteatro natural em campo polvilhado de oliveiras e baptizado com nome pleno de simbolismo: será no novo palco Zeca Afonso que ouviremos Slow J, Linda Martini ou Paus – o palco no adro da Igreja de São Sebastião ganhou também novo nome, igualmente simbólico: a partir de 2018 chamar-se-á Palco Amália. A organização, ou seja, a Sociedade Cultural e Recreativa de Cem Soldos, anunciou ainda o aumento dos espaços de restauração e o reforço da zona de campismo, estando disponíveis no terreno tendas de dimensões variáveis, disponíveis para quem não quiser montar a sua.

Com festa de recepção marcada para 8 de Agosto, os bilhetes para o Bons Sons estarão à venda entre Maio e Julho a 20 (bilhete diário) e 40 euros (passe geral). Em Agosto só estarão disponíveis em Cem Soldos, entre os 22 e os 45 euros.