As manipulações do grande educador Pacheco Pereira

É pouco prudente Pacheco aconselhar outros a lerem livros antes de ele próprio ler o que andou a escrever ao longo da vida.

No último sábado, Pacheco Pereira escreveu um texto muito revelador chamado Estudem, que vos faz falta, onde assume o papel de velho sábio da Marmeleira, enviando-me a mim e a Nuno Palma de volta para os bancos da escola. Infelizmente, para interpretar convenientemente o papel de velho sábio que distribui conselhos aos mais jovens, Pacheco Pereira precisaria de uma coerência intelectual que nunca teve. A ignorância alheia e a falta de memória, contra a qual tanto resmunga, só o beneficiam: se as pessoas realmente se lembrassem de tudo aquilo que ele já escreveu e defendeu ao longo de 50 anos, seria impossível continuar a fazer-se passar por grande farol da lucidez lusitana.