História

Todos os tópicos

A historiografia de Fátima, feita com base em documentos, dificilmente poderá progredir.

  • A historiografia de Fátima, feita com base em documentos, dificilmente poderá progredir.

  • Viveu os últimos anos com amargura e ressabiamento. Mas o seu lugar na História já estava traçado.

  • A cabeça em mármore que Beja guardou durante 117 anos sem saber quem tentaria retratar reúne “todas as características” que o biógrafo romano Suetónio associou a Júlio César: “rosto um pouco cheio e olhar vivo e calvo, mas para disfarçar puxava para a testa os poucos cabelos que ainda tinha”.

  • Terra(s) de Sefarad arranca esta quinta feira com um congresso internacional, música, cinema, exposições e um mercado kosher numa cidade que tem dois espaços dedicados ao legado dos judeus sefarditas.

  • É legítimo perguntar: porque continuar a manter a vergonhosa separação entre as Igrejas do Oriente e do Ocidente?

  • Que o passado seja evocado para justificar o presente não é novidade, nem é exclusividade do Estado Novo. Mas é curioso notar como, nos debates sobre história e memória no contexto democrático, a discussão sobre raça e racismo continua a ser evadida.

  • Os traços do rosto seriam parecidos com qualquer pessoa que hoje se cruza connosco na rua. O crânio tinha uma forma mais alongada. Caçava sobretudo gazelas e zebras. Viveu há cerca de 300 mil anos em África, mais precisamente no Norte de África. Os cientistas dizem que é o primeiro da nossa espécie.

  • O sentimento de muitos cidadãos de origem africana de que “não nos querem cá” tem bases sólidas.

  • Os “livros do dia” são como as promoções de vinhos nos hipermercados: alguns valem mesmo a pena, outros nem dados. Escolhemos uma dezena de títulos que pode comprar à confiança e a bom preço na 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, que termina no dia 18 de Junho.