Dez mortos num tiroteio em supermercado no Colorado

Suspeito foi ferido na intervenção da polícia e está detido. Segundo os media americanos, o atacante usou uma espingarda de assalto AR-15, uma arma popular nos EUA, usada em vários massacres.

america-norte,armas,tiroteio-eua,eua,mundo,america,
Fotogaleria
Os nomes das vítimas, com excepção do polícia, ainda não foram divulgados MICHAEL CIAGLO/Reuters
america-norte,armas,tiroteio-eua,eua,mundo,america,
Fotogaleria
A operação da polícia prolongou-se durante horas BRENDAN DAVIS/EPA
america-norte,armas,tiroteio-eua,eua,mundo,america,
Fotogaleria
O alerta dos primeiros disparos foi dado pelas 15h30 locais MICHAEL CIAGLO/Reuters

Um homem matou pelo menos dez pessoas num supermercado em Boulder, no estado americano do Colorado. Uma das vítimas é o agente Eric Talley, de 51 anos, que “foi o primeiro a chegar” ao supermercado King Soopers, depois do alerta de disparos. Um suspeito, ferido pela polícia, está detido.

A polícia diz ter poucas informações sobre o tiroteio, que começou ao início da tarde (pelas 22h em Lisboa) de segunda-feira na cidade 45km a noroeste de Denver. A identidade das vítimas, com excepção do polícia, não foi divulgada porque as famílias ainda estavam a ser informadas.

“Boulder sofreu um tiroteio terrível”, afirmou o procurador do condado, Michael Dougherty, prometendo “justiça” a todas as vítimas, “pessoas que estavam nas suas vidas, que faziam as suas compras, e cujas vidas foram tragicamente interrompidas pelo atirador”.

Algumas testemunhas descrevem o caos e o terror provocado pelos primeiros disparos. Outras falam do irrealismo do ataque. Ryan Borowski disse à CNN que estava a fazer compras quando os primeiros tiros foram disparados: ao terceiro, afirma, toda a gente já corria. “Boulder parece uma bolha e a bolha rebentou. Isto parece ser o lugar mais seguro da América e eu quase fui morto por um refrigerante e um pacote de batatas fritas”, disse. “Parece que não há mais nenhum sítio seguro.”

Um alto responsável da polícia disse à CNN que a arma usada foi uma espingarda de tipo AR-15, uma arma semiautomática muito popular nos Estados Unidos e a mais usada nos homicídios em massa (Sandy Hooks, San Bernardino, Las Vegas, Parkland…). Legal, com um aspecto semelhante a uma metralhadora, pode ser facilmente transformada para funcionar quase como uma automática, passando a disparar várias balas de cada vez que se carrega no gatilho.

Este ataque foi o sétimo homicídio em massa este ano nos EUA e segue-se ao de Atlanta, na semana passada, que deixou oito mortos, a maioria mulheres americanas de origem asiática.

A meio de Fevereiro, o Presidente, Joe Biden, apelou ao Congresso para agir “agora” e limitar a circulação de armas no país, três anos depois do massacre que deixou 17 mortos num liceu de Parkland, na Florida. “Este Senado deve fazer avançar legislação para contribuir para pôr fim à epidemia de violência por armas, e vai fazê-lo”, assegurou na segunda-feira à noite no Twitter o líder da maioria democrata do Senado, Chuck Schumer.