Carlos Neto: “O corpo, neste momento, está desaparecido”

O livro Libertem as Crianças — A urgência de brincar e ser ativo, da editora Contraponto, depressa chegará à terceira edição e o seu sucesso deve-se ao apelo que, passados 46 anos de trabalho na educação, continua a fazer, para que pais e escolas deixem as crianças brincar, numa brincadeira livre.

Foto
Filipa Fernandez

Trata os alunos por “as minhas crianças”. É um dos criadores do Colégio da Torre, em Paço de Arcos, Oeiras, uma escola que desde a década de 1970, quando foi criada, segue o método da Escola Moderna e orgulha-se de os seus ex-alunos, independentemente da área de estudo e profissão que tenham abraçado, terem interesses e hobbies diversificados. Carlos Neto acredita que tal acontece porque, na escola, em crianças, lhes foram dadas muitas oportunidades de escolha.