Salvador quer acabar com a pandemia e, pelo caminho, ajudar alunos desfavorecidos a aceder ao ensino à distância

As vendas do livro Salvador, pequeno herói, lançado pela multinacional portuguesa Primavera BSS, revertem na totalidade para a compra de material informático para os alunos mais necessitados.

Foto
Adriano Miranda

Confinados à sua casa, Salvador juntou-se ao seu pai e ao cão Bolinhas para, juntos, encontrarem uma forma de acabar com a pandemia que os impedia de estarem com a mãe, que trabalha num hospital.

É a sinopse do livro Salvador, o pequeno herói que pretende ser um apoio na igualdade ao acesso ao ensino à distância. Esta é uma iniciativa solidária da Primavera BSS — multinacional portuguesa especializada no desenvolvimento de soluções de gestão e plataformas para integração de processos empresariais — que se associou ao projecto Tech4Covid19.

Foto
O conto está disponível para venda em formato físico e em videobook DR

“O livro foi escrito e ilustrado por colaboradores e amigos da Primavera, num projecto de voluntariado”, explica Ângela Brandão, vice-presidente da empresa, ao PÚBLICO.

O conto em formato físico está disponível na plataforma de comércio online dott (por 10,66 euros) e o valor obtido nas vendas reverte na totalidade para o projecto Student Keep, que ajuda a combater a desigualdade no ensino online e que “está em melhor posição para alocar as verbas”, sublinha Ângela Brandão.

Através do sistema de apadrinhamento por parte de pessoas individuais ou colectivas e em articulação com os agrupamentos escolares, de forma a identificar os estudantes com maiores necessidades, a Student Keep já entregou 260 equipamentos a alunos sem acesso a computadores

Por outro lado, a versão digital do livro (que conta com uma versão em vídeo), será distribuída em escolas, jardins-de-infância, centros de ocupação de tempos livres e outras organizações que se dedicam ao apoio na infância, de forma a auxiliar pais e educadores na tarefa de explicar às crianças, de forma lúdica, a pandemia que os obriga a ficar em casa.

“É uma forma de contribuirmos para este binómio da importância da leitura, mas também da utilização do digital que se tem revelado fundamental nesta altura”, remata a vice-presidente da Primavera BSS.