CGTP sai para a rua para exigir respostas ao aumento da inflação

Em Junho, a CGTP contabilizou mais de 60 greves no sector público e privado convocadas pelos sindicatos da central e, em Julho, antecipa um aumento da contestação. Manifestação desta quinta-feira tem como palavras de ordem o aumento dos salários, o fim da precariedade e as 35 horas semanais.

Foto
Isabel Camarinha, secretária-geral da CGTP, exige que o salário mínimo suba para 800 euros no imediato Nuno Ferreira Santos

A CGTP sai para a rua nesta quinta-feira para dizer aos patrões e ao Governo que é preciso dar resposta ao aumento do custo de vida e aumentar, no imediato, os salários e as pensões. A manifestação, que sai do Marquês de Pombal às 15h em direcção à Assembleia da República, marca um período de “grande contestação” que, em Junho, se traduziu em mais de 60 greves e que irá intensificar-se nos próximos meses.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários