“Podemos, se quisermos”, acelerar a Justiça, diz Marcelo. Ministra prefere choque tecnológico

Na abertura do ano judicial, repetiram-se diagnósticos e pediu-se acção. Discurso da ministra não revelou linhas programáticas para o sector, lamenta ex-bastonário dos advogados.

Ministra da Justiça estreou-se na abertura do ano judicial
Fotogaleria
Ministra da Justiça estreou-se na abertura do ano judicial Daniel Rocha
Marcelo quer tempos razoáveis na justiça
Fotogaleria
Marcelo quer tempos razoáveis na justiça Daniel Rocha

Quando se esperava um primeiro posicionamento público da nova ministra da Justiça sobre o rumo que quer dar ao sector, Catarina Sarmento e Castro fez um discurso centrado na transição digital, embora falasse num edifício renovado do Supremo Tribunal de Justiça onde não há wi-fi, mas apenas internet nos computadores fixos. Uma metáfora do desfasamento entre os discursos dos governantes do sector e a realidade, que ficou esta quarta-feira patente na abertura do ano judicial.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários