O regresso ao centro político

Sem perder a sua diversidade, o Parlamento parece querer garantir o centro. Até os que receiam os riscos de um bloco central de interesses hão-de ver neste fenómeno razões para algum conforto

A tribalização do discurso político, a radicalização das posições ideológicas e doutrinárias, a criação de trincheiras partidárias entre os extremos da esquerda e da direita, muitas vezes alimentadas pelos algoritmos das redes sociais, fizeram com que o apelo ao regresso do centro político aumentasse de tom nos últimos tempos. Em Portugal, e ao contrário do que acontece em muitos outros países europeus, esse apelo parece estar a produzir resultados. De acordo com a sondagem da Universidade Católica para o PÚBLICO, a RTP e a Antena 1, os dois partidos que melhor exprimem essa ideia de centro, o PS e o PSD, cresceram nas intenções de voto face a 2019.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários