Os Governos de Sócrates e Passos não só tinham margem de manobra negocial com os credores internacionais, como obtiveram com a crise um pretexto para aprovar medidas impopulares. Estas são algumas das conclusões de um estudo de dois investigadores da Universidade Nova.

  • Os Governos de Sócrates e Passos não só tinham margem de manobra negocial com os credores internacionais, como obtiveram com a crise um pretexto para aprovar medidas impopulares. Estas são algumas das conclusões de um estudo de dois investigadores da Universidade Nova.

  • Seis deputados do CDS, incluindo Assunção Cristas, votaram a favor.

  • O lastro institucional deixado pelo neoliberalismo, em particular na escala supranacional, é uma das razões para a sua resiliência, para a dificuldade em reverter regras que transferem sistematicamente recursos de baixo para cima, mesmo depois dos desastres comprovados.

  • Comunistas questionam Governo se escolha de pessoas próximas da PT para o regulador é "incontroversa". Bloco e direita dizem-se preocupados e criticam opções.

  • Bloco e PS aliaram-se e apresentaram um calendário que implica urgência no debate e votação final a 19 de Julho. Discussão será feita num grupo de trabalho coordenado pelo PSD.

  • Relatório de 2011/12 foi feito em 2014 mas só é publicado hoje. No Parlamento, o pacote florestal está parado há dois meses na comissão de Agricultura. O grupo de trabalho sobre incêndios reuniu cinco vezes e as conclusões ainda estão demoradas.