Os BTS foram às Nações Unidas e quase um milhão de pessoas os viu na Internet

A favor da vacinação contra a covid-19, a banda da Coreia do Sul arrebatou os fãs online.

musica,youtube,diplomacia,coreia-sul,nacoes-unidas,onu,
Fotogaleria
Reuters/POOL
musica,youtube,diplomacia,coreia-sul,nacoes-unidas,onu,
Fotogaleria
EPA/JOHN ANGELILLO / POOL
musica,youtube,diplomacia,coreia-sul,nacoes-unidas,onu,
Fotogaleria
EPA/JOHN ANGELILLO / POOL
musica,youtube,diplomacia,coreia-sul,nacoes-unidas,onu,
Fotogaleria
Reuters/POOL
,K-pop
Fotogaleria
Reuters/POOL
,Jungkook
Fotogaleria
Reuters/POOL
,Assembleia Geral das Nações Unidas
Fotogaleria
Reuters/POOL
,Sede das Nações Unidas
Fotogaleria
Reuters/POOL
,K-pop
Fotogaleria
Reuters/POOL
,Assembleia Geral das Nações Unidas
Fotogaleria
Reuters/EDUARDO MUNOZ
,Seul
Fotogaleria
EPA/YONHAP

O que é que acontece quando a famosa banda k-pop BTS, com uma das comunidades de fãs online mais robusta de sempre, discursa na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU)? O canal de YouTube oficial alcança praticamente um milhão de pessoas e é inundado de emojis de corações, com as mais variadas cores. 

Os artistas sul-coreanos já tinham sido convidados pela ONU, mas esta foi a primeira vez que os sete membros — Jin, Suga, J-Hope, RM, Jimin, V e Jungkook —, apareceram, a pedido do Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, enquanto “enviados especiais pelas futuras gerações”. 

O discurso de sete minutos direccionou-se especialmente ao público mais jovem, muitas vezes encarado como “a geração perdida pela covid-19”, segundo RM, um dos membros da banda. “Para mim, é um exagero dizer que estão perdidos, apenas porque o caminho que os mais novos trilham não é entendido pelos mais velhos”, acrescentou. O grupo fez questão de relembrar a dedicação dos jovens, durante o período pandémico, em lutar para chamar a atenção para temas fundamentais e prementes, como as alterações climáticas e os direitos humanos. O ano passado, a banda chegou mesmo a arrecadar, com a ajuda dos fãs, mais de 800 mil euros para o movimento Black Lives Matter (BLM), como forma de apoio aos protestos que aconteceram nos Estados Unidos contra a brutalidade policial. 

O apelo à vacinação foi, contudo, o grande mote da presença dos artistas em Nova Iorque. “Foi graças à vacina que conseguimos hoje voltar a encontrar os fãs que nos esperam e estar aqui presentes”, afirmou J-Hope. 

Depois de discursarem, os jovens mostraram ao público um vídeo da performance para a nova canção “Permission to Dance”, no qual os artistas cantam e dançam no interior das instalações da sede da ONU. 

“Os artistas mais amados por todo o mundo”, como são descritos pelo Presidente Moon, roubaram o tempo de antena dos grandes líderes mundiais também presentes na sessão para discutir questões como a sustentabilidade; e arrebataram os fãs que assistiam à transmissão onlineA certa altura chegaram a estar mais de dez milhões de pessoas a ver o canal oficial de YouTube da ONU, que rapidamente voltou a ficar abaixo dos 50 mil depois de a banda sair de cena.