Ele não disse mas pensou ou a manipulação da História

Dá-me ideia de que da mesma forma que só judeus podem fazer piadas sobre campos de concentração, também há historiadores de esquerda que julgam que só eles podem realçar números positivos do Estado Novo.

Há dias perguntaram-me que habilitações tinha eu para me envolver em discussões sobre a história do Estado Novo, ainda na sequência da badalada intervenção de Nuno Palma no colóquio do MEL. A pergunta está logo errada: nunca estive envolvido em discussões sobre a história do Estado Novo. Estive envolvido, isso sim, numa discussão sobre a manipulação do discurso na democracia portuguesa. São coisas muito diferentes, como se tem comprovado ao longo das últimas semanas.