7 dias, 7 fugas: dias feitos de sabores, artes e vistas, sem medos

Do Convento dos Capuchos de Sintra ao Porto a 360 graus, celebram-se o Alvarinho e o fumeiro de Melgaço, a arte urbana de Oeiras, as ostras de Setúbal, os Livros a Oeste e o bacalhau em Marvão.

gastronomia,fugas,patrimonio,livros,setubal,porto,
Fotogaleria
Visitas nocturnas ao Convento dos Capuchos, em Sintra PSML/José Marques Silva
gastronomia,fugas,patrimonio,livros,setubal,porto,
Fotogaleria
Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço Nelson Garrido
gastronomia,fugas,patrimonio,livros,setubal,porto,
Fotogaleria
Semana da Ostra em Setúbal ADRIANO MIRANDA/PUBLICO
,Super Bock
Fotogaleria
Porto abre visitas a 360 graus, no topo do Pavilhão Rosa Mota DR
gastronomia,fugas,patrimonio,livros,setubal,porto,
Fotogaleria
Afonso Cruz é um dos convidados do festival literário Livros a Oeste, na Lourinhã Miguel Manso
Viana do Alentejo
Fotogaleria
Marvão serve a Quinzena Gastronómica do Bacalhau DR
gastronomia,fugas,patrimonio,livros,setubal,porto,
Fotogaleria
TheCaver, um dos convocados para o No Walls Oeiras DR

Sábado, 8: À noite no convento para saber o que lá vai dentro

Estrearam-se no passado dia 16 de Abril, à boleia da celebração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, e voltam agora para a festa de aniversário do lugar. As visitas nocturnas ao Convento dos Capuchos, em Sintra, convidam a entrar na austera casa, sob “iluminação minimalista” e em comunhão com a natureza. Acontecem todos os sábados de Maio, entre as 19h e as 21h30, orientadas por um guia, num percurso de 45 minutos que tem como ponto de encontro o Terreiro das Cruzes e dá a conhecer o interior do convento, o claustro e o celeiro. Aqui podem ser vistos alguns objectos do quotidiano conventual, como pratos, tacinhas, um jarro ou livros em terracota, na exposição recém-inaugurada 461 anos de História. Os bilhetes custam 10€ (8,50€ para jovens e seniores) e são vendidos exclusivamente no site da Parques de Sintra.

Domingo, 9: À mesa com Melgaço

Nascida em 1995 para pôr na montra o que a região tem de melhor, a Festa do Alvarinho e do Fumeiro de Melgaço torna a marcar presença no calendário gastronómico nacional, num modelo adaptado ao presente. O evento renova-se nos fins-de-semana de 7 a 9 e de 14 a 16 de Maio, com um mercado no Largo Hermenegildo Solheiro, visitas às adegas e aos produtores de fumeiro, provas de vinho com passeios e uma montra online com os produtos da terra. Tudo isto bem acompanhado (e regado) pela restauração local, que põe a mesa com o vinho da casa e iguarias como cabrito assado no forno de lenha, lampreia com arroz, à bordalesa e frita com ovo, sável, cozido, feijoada, presunto, chouriço, broa ou mel. O programa completo pode ser consultado aqui.

Segunda, 10: Sem paredes, sem limites 

Vem com um manifesto que não deixa margem para dúvidas: “Abandonamos as paredes, mas não renunciamos à criação artística pelas ruas. Assumimos a dimensão política e social da arte, activa e de activismo. Ambicionamos um pensamento livre, uma reflexão sobre os valores da(s) liberdade(s). Sem preconceitos, sem limitações, sem muros ou paredes”. As palavras-cartaz do No Walls Oeiras definem o projecto de arte urbana que pretende estimular a criação artística no espaço público do município, criando um circuito de trabalhos e desafiando a novas narrativas e suportes. Com curadoria de Lara Seixo Rodrigues e o selo da Mistaker Maker, a iniciativa desenha-se entre 10 e 25 de Maio e conta com os traços de MaisMenos, Aheneah, André da Loba, Fiumani, João Varela, Mário Belém, Raquel Belli e TheCaver, a que se juntará um outro nome, apurado na Open Call lançada a residentes (nacionais ou estrangeiros) da Área Metropolitana de Lisboa.

Terça, 11: Quantas histórias cabem numa história?

Na Lourinhã, o festival literário Livros a Oeste promete dar tudo no momento d’O Reencontro. É esse o mote que inspira esta edição, que decorre entre 11 e 15 de Maio num formato híbrido, feito de sessões presenciais (na Galeria Municipal e no Centro Cultural) e conteúdos digitais (nos canais de Facebook e YouTube da autarquia). Quantas histórias cabem numa história? é a pergunta que se coloca aos convidados, onde se incluem nomes como Adolfo Luxúria Canibal, Afonso Cruz, Amosse Mucavele, Gonçalo M. Tavares, José Luís Peixoto, Karyna Gomes, Mário Zambujal, Ondjaki, Patrícia Portela, Pedro Vieira, Rui Zink, Sara Barros Leitão, Sérgio Godinho, Sofia Fraga ou Tânia Ganho. No alinhamento estão conversas, apresentações de livros, performances, leituras, música, artes plásticas e uma feira do livro em parceria com a Livraria Snob. O programa completo está aqui

Quarta, 12: Setúbal mostra as suas pérolas

Entre receitas tradicionais e pratos inovadores, com notas de simplicidade ou pérolas criativas, a Semana da Ostra convida à degustação dos moluscos do Sado à medida de (quase) todos os gostos. O certame gastronómico tem lugar até 16 de Maio em 28 restaurantes da região, que responderam à chamada do município com ementas feitas à medida da ocasião, para mostrar que a riqueza culinária do bivalve não se esgota na apresentação ao natural, com umas gotas de limão e sabor a mar. A compor o prato, há um passeio pedestre Ostras e Aves do Estuário do Sado (dia 9, às 9h30, com bilhetes a 22€ e inscrição prévia aqui) e uma degustação comentada de ostras e vinhos na Casa da Baía (dia 16, às 18h, de entrada gratuita mas sujeita a reserva até 13 de Maio em gape@mun-setubal.pt).  

Quinta, 13: Porto a 360 graus

Os 150 degraus que levam ao topo da Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota, nos Jardins do Palácio de Cristal do Porto, estão prontos para receber os visitantes mais radicais. Com abertura ao público marcada para 13 de Maio, a Porto 360º Sky View convida para “uma viagem histórica de 1865 até aos dias de hoje” que culmina no ponto mais alto da cúpula, naquele que a organização descreve como “o melhor miradouro da cidade”. Com duração de 50 minutos, e para maiores de 12 anos, as visitas são guiadas e percorrem o interior do edifício subindo depois à “icónica cúpula semiesférica” que, no varandim, abre as vistas a todas as direcções, “desde a Boavista ao Marquês, da Ribeira até à Foz, e de alguns dos edifícios mais marcantes da cidade”. Não sendo uma actividade de grande exigência física, solicita-se aos interessados motivação e energia para subir a escadaria.

Sexta, 14: Marvão numa alhada (e outros pratos) de bacalhau

Dourado ou assado, em posta ou pastéis, servido com gambas ou deitado em legumes, metido numa açorda, numa alhada ou numa sopa gata, o bacalhau é estrela das ementas em Marvão. Às mesas do concelho alto-alentejano e raiano estão a chegar, desde o primeiro dia de Maio e até 16, as propostas da 11.ª Quinzena Gastronómica do Bacalhau. Se normalmente já é um petisco para o paladar e um momento importante para a divulgação do património gastronómico, este ano cresce em importância por servir para “apoiar a economia local e contribuir para que Marvão se mantenha como um destino gastronómico”, frisa a autarquia, “numa altura em que o país entra na derradeira fase de desconfinamento” e reabre a fronteira com Espanha. São 13 os estabelecimentos aderentes – Casa do Povo, Dom Manuel, Varanda do Alentejo, J.J. Videira, Mil-Homens, O Tachinho, O Sever, Sever Churrasqueira, Zé Calha, Petiscos da Olga, Ammaia, Sabores de Marvão e Pau de Canela – e agradecem marcação prévia. Contactos, cardápios e outras informações aqui