Johnny Depp acusa ex-mulher de mentir sobre doações — e apresenta provas

O acordo de divórcio de Johnny Depp e Amber Heard implicou o pagamento de sete milhões de dólares do actor à ex-mulher que, na época, disse ter doado o dinheiro a instituições de beneficência. Agora, Depp diz que isso é mentira.

Foto
Em 2018, Amber Heard confirmou as doações: "No total, foram doados sete milhões de dólares" REUTERS/Simon Dawson

Johnny Depp e Amber Heard conheceram-se em 2009, nas filmagens da longa-metragem O Diário a Rum, casaram em 2015 e, apenas um ano depois, a Mera​ de Aquaman ​entrava com o pedido de divórcio, acusando o parceiro de abusos verbais e físicos e conseguindo uma ordem de restrição temporária contra o actor. Depp negou sempre essas acusações e alegou que Amber Heard estaria em busca de uma compensação financeira.

O que era suposto ser o desfecho de uma novela (que, entretanto, dura até hoje…) envolveu um acordo em que Heard retirou as queixas de violência doméstica e Depp passou um cheque de sete milhões de dólares (5,78 milhões de euros) – uma maquia que a actriz declarou ter doado à União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, na sigla original) e ao Hospital Infantil de Los Angeles, calando assim as más-línguas de que seria uma caçadora de fortunas.

Até agora: Johnny Depp veio a público acusar a ex-mulher de ter mentido, depois de a sua equipa jurídica ter dedicado mais de um ano a investigar as doações àquelas duas instituições, noticiou o Daily Mail. E, enquanto da primeira não obteve quaisquer informações, da segunda conseguiu confirmação, através de documentos oficiais, que Amber Heard de facto fez uma doação ao Hospital Infantil de Los Angeles. Problema: entregou cem mil dólares (quase 83 mil euros) e não 3,5 milhões (2,9 milhões de euros), como declarado, noticia o site CelebrityNetWorth

Ainda segundo o actor, o hospital manifestou a sua preocupação com a discrepância entre o que a actriz prometeu e o que doou numa carta que lhe dirigiu no Verão de 2019, intimando Amber Heard a responder se iria cumprir ou não a promessa feita.

Doação, um argumento contra Depp

O caso das doações não é apenas penalizante para a reputação de Amber Heard, já que o facto de não o ter feito volta a dar força às alegações do actor de que a ex-mulher estaria apenas interessada no seu dinheiro, sendo esse o móbil das acusações de violência que o actor sempre negou. É que, a ser verdade que a actriz não entregou o dinheiro prometido à ACLU e ao Hospital Infantil de Los Angeles, o resultado do julgamento que opôs Depp ao jornal The Sun pode ser colocado em causa.

O tablóide rotulou o actor de ser “um espancador de esposas” e este processou o grupo editorial por difamação. Só que um juiz deu razão ao jornal – o que levou a que Jonnhy Depp entrasse numa espiral de desgraça, com a indústria a virar-lhe as costas – e uma das razões apontadas foi precisamente a doação do valor do acordo de divórcio

“A doação dos sete milhões de dólares para caridade é dificilmente o acto que se esperaria de uma caçadora de fortunas”, considerou o tribunal londrino para justificar o facto de preferir acreditar no testemunho da actriz que tornou a descrição do jornal “substancialmente verdadeira”, não constituindo, por isso, uma difamação como acusava Depp.

Questionada sobre o caso, a advogada de Amber Heard não especificou quanto a sua cliente tinha doado até à data, mas avançou que é intenção da actriz cumprir a promessa de entregar os sete milhões, algo que não terá conseguido por causa das despesas legais resultantes das queixas que Depp tem formalizado contra si. Só que o hiato temporal entre o momento em que recebeu o dinheiro e a primeira queixa é de mais de dois anos. Para mais, em 2018, um ano antes de o actor ter entrado com um processo de difamação contra Amber Heard, aquela confirmou as doações. “No total, foram doados sete milhões de dólares; dividi-os entre a ACLU e o Hospital Infantil de Los Angeles”, disse.

Ainda assim, numa declaração, citada pelo site de notícias sobre celebridades de Hollywood Deadline, a causídica classificou “o esforço do sr. Depp para pôr a circular histórias nos meios de comunicação social a criticar Amber por ainda não ter cumprido todas as doações que prometeu” como “mais uma tentativa desesperada de desviar a atenção das conclusões do tribunal do Reino Unido” que confirmam “que o sr. Depp cometeu abusos e violência doméstica”.