Celebridades: um ano cheio de desculpas

Ainda mais do que nos anos anteriores, em 2020, as estrelas tinham muito pelo que expiar. Algumas pelas coisas que aconteceram este ano e outras que expressaram arrependimento pelos erros que cometeram no passado.

rock,televisao,cinema,musica,youtube,instagram,
Fotogaleria
As Kardashian à chegada aos prémios People's Choice Awards, em Novembro de 2019 Monica Almeida/Reuters
rock,televisao,cinema,musica,youtube,instagram,
Fotogaleria
A actriz de origem israelita Gal Gadot Danny Moloshok/Reuters
rock,televisao,cinema,musica,youtube,instagram,
Fotogaleria
Madonna, em Junho de 2019, em concerto em Nova Iorque Jeenah Moon/Reuters

A combinação de uma pandemia, com problemas raciais e uma crise económica devastadora significava que as pessoas têm menos paciência para as tolices dos ricos e famosos. Não, o facto da actriz Gal Gadot ter reunido um bando de estrelas fora do tom para cantar “Imagine” não nos trouxe esperança. Não, o facto de Madonna ter afirmado, sentada na sua banheira, que a pandemia não se traduziu numa forma de igualdade entre todos também não nos trouxe compreensão. Nem nos falem sobre as Kardashians e como todos estavam gratos por fingir que as coisas estavam “normais” enquanto voavam para uma ilha particular para o aniversário dos 40 anos de Kim.

Como resultado, ainda mais do que nos anos anteriores, em 2020, as estrelas tinham muito pelo que expiar. Algumas pelas coisas que aconteceram este ano e outras que expressaram arrependimento pelos erros que cometeram no passado. Aqui estão sete desculpas de celebridades que resumem o ano estranho e sombrio que foi 2020.

Jimmy Fallon Andrew Kelly/Reuters
Jimmy Kimmel Mario Anzuoni/Reuters
Fotogaleria
Andrew Kelly/Reuters

Jimmy Fallon e Jimmy Kimmel

Os Jimmys que assumem as apresentações dos programas televisvos que passam nas madrugadas norte-americanas foram apenas duas das estrelas que foram criticadas por usar blackface nos seus sketches. Trata-se de uma prática racista que há muito é criticada, mas Hollywood tendeu a encobri-la até este ano. Na esteira dos protestos sobre a injustiça racial após a morte de George Floyd sob custódia policial neste Verão, vários programas de televisão. como editaram episódios para remover personagens com o rosto pintado de negro, e várias celebridades pediram desculpas por tê-lo feito no passado.

Fallon, que usou blackface ao imitar Chris Rock no “Saturday Night Live”, confessou que, de início, foi aconselhado a não falar sobre o tema. “Percebi que não posso deixar de dizer que estou horrorizado, que sinto muito e estou envergonhado”, disse Fallon durante um monólogo no programa “Tonight Show” em Junho. “Percebi que o silêncio é o maior crime que pessoas brancas como eu cometem. Precisamos dizer alguma coisa.”

Algumas semanas depois, foi a vez de Kimmel dizer que se arrependia de ter feito uma imitação do jogador Karl Malone, estrela da NBA, em meados dos anos 1990. Num comunicado, Kimmel disse que estava relutante em abordar a questão porque temia que o seu pedido de desculpas fosse transformado numa arma pelos críticos. Contudo, declarou: “Não há nada mais importante para mim do que o respeito do público, e peço desculpas àqueles que foram genuinamente feridos ou ofendido pela maquilhagem que usei ou pelas palavras que proferi. ”

Foto
Danny Moloshok/Reuters

Vanessa Hudgens

A actriz Vanessa Hudgens foi talvez o primeiro exemplo de ignorância face à pandemia quando, em Março, minimizou a sua gravidade durante um vídeo na rede social Instagram: “É um vírus, já percebi e respeito. Mas, ao mesmo tempo, mesmo que todos entendam, sim, haverá pessoas que vão morrer, o que é terrível, mas inevitável ” Respeito pelo vírus à parte, os fãs ficaram chocados, e Hudgens inicialmente resguardou-se na tradicional desculpa de que a sua declaração tinha sido “tirada do contexto”. Mais tarde, deu a mão à palmatória: “Sinto muito pela forma como ofendi a todos que viram o clipe do meu Instagram ao vivo ontem. Percebo que minhas palavras foram insensíveis e nada apropriadas para o nosso país e para o mundo em que vivemos.”

Foto
USA Today Sports/Reuters

Cardi B

Por todo o mundo, enquanto as pessoas se habituavam a cumprir regras de confinamento, respeitando o facto de não poderem visitar a família, algumas estrelas adoptaram uma abordagem diferente. Alguns dias após o feriado do Dia de Acção de Graças, a rapper Cardi B escreveu na sua conta de Twitter, que é seguida por quase 16 milhões de pessoas: “12 crianças e 25 adultos nas férias. Estava aceso!!”. Depois de ler as críticas dose fãs, que apontaram que talvez hospedar 37 pessoas durante uma pandemia não fosse uma boa ideia, a cantora desculpou-se e disse que não queria ofender ninguém. “Acabei de receber a minha família em minha casa pela primeira vez e foi tão bom que me inspirou. Gastei muito dinheiro para que todos fizessem o teste [ao coronavírus], então pareceu-me que valeu a pena.”

Foto
Mike Blake/Reuters

Ellen DeGeneres

A apresentadora Ellen DeGeneres, famosa por promover a bondade e solidariedade, foi apanhada num escândalo dentro do seu programa televisivo. Segundo uma investigação do site BuzzFeed o ambiente de trabalho nos bastidores era tóxico, incluindo alegações de assédio sexual e má conduta por parte dos produtores. Após uma investigação interna, três produtores importantes foram demitidos e DeGeneres desculpou-se publicamente durante a reentrée, em Setembro: “Descobri que coisas aconteceram aqui que nunca deveriam ter acontecido.” Mais: “Levo isso muito a sério e quero dizer que sinto muito pelas pessoas afectadas.”

Foto
Randall Hill/Reuters

Kanye West

Mesmo na loucura contínua de 2020, Kanye West conseguiu obter muitas manchetes. Quando em Julho, West anunciou que ia concorrer às presidenciais norte-amerianas, muitos perguntaram-se se estaria a falar a sério. No seu primeiro comício na Carolina do Sul, o cantor fez referências a questões familiares muito pessoais, incluindo detalhes sobre a mulher, Kim Kardashian West, e as conversas que tiveram quando ela descobriu que estava grávida do seu primeiro filho. Mais tarde, o rapper desculpou-se, escrevendo no Twitter: “Gostaria de me desculpar com a minha mulher Kim por tornar público algo que era um assunto privado... Para Kim, quero dizer que sei que te magoei. Por favor, perdoa-me. Obrigado por estares sempre lá para mim.”

Foto
DR

Charli D'Amelio

A popularidade da rede social TikTok explodiu este ano e, entre muitas coisas que a plataforma alcançou, levou Charli D'Amelio, de 16 anos, à fama, apesar de, como confessou ao The Washington Post, não saber por que era a  pessoa mais seguida na aplicação. Mas as estrelas do TikTok também conseguem gerar muita controvérsia ao produzirem grandes quantidades de conteúdos, e D'Amelio confirmou essa tendência em Novembro, quando ela e a sua também irmã famosa Dixie apareceram num vídeo do YouTube a criticaram repetidamente um chef particular quem estava a servir-lhes o jantar. Depois de os fãs a apelidarem de malcriada e rude pelo seu comportamento, perdeu quase um milhão de seguidores. D'Amelio arrependeu-se em lágrimas no Instagram: “Sinto muito, mas não foi algo que fiz para magoar ou deixar alguém abatido.

Foto
Josh Dun (esquerda) e Tyler Joseph (direita) fazem parte da banda Twenty One Pilot Mario Anzuoni/Reuters

Tyler Joseph

Em última análise, a frustração com as celebridades geralmente resume-se ao facto de elas serem extremamente privilegiadas, mas muitas vezes não entenderem o seu impacto junto do público. Foi o que aconteceu com Tyler Joseph, o vocalista do Twenty One Pilots, em Setembro. Quando os fãs perguntaram se tinha uma posição sobre o movimento Black Lives Matter, ele tweetou uma fotografia com uns sapatos com plataforma, comentando o calçado que envergava. Mesmo quando os seguidores acharam aquela resposta sem graça, ele voltou a republicar, mas vendo as reacções, recuou e acabou por pedir desculpas, declarando estar ao lado do movimento, adicionando um link para um site de apoio e angariação de fundos. Sinto muito se ofendi alguém.