Programa de Ellen DeGeneres investigado por má conduta contra colaboradores

Depois de diversas queixas sobre o ambiente vivido no backstage do programa matinal norte-americano, a produtora Warner Bros. abriu uma investigação interna.

The Ellen DeGeneres Show estreou em 2003
Foto
The Ellen DeGeneres Show estreou em 2003 Reuters/Mario Anzuoni

The Ellen DeGeneres Show, um dos programas matinais mais vistos nos EUA e vencedor do maior número de prémios Daytime Emmy (61 no total), está a ser investigado a nível interno depois de terem sido feitas diversas queixas sobre o ambiente tóxico e a má conduta praticada nos bastidores.

Testemunhos anónimos feitos ao site BuzzFeed por 11 colaboradores do programa (apenas um deles trabalha actualmente no Ellen) revelam que foram alvo de racismo, bullying e intimidação. Num comunicado assinado pela própria Ellen DeGeneres e pela Warner Bros., produtora do talk-show, é referido que serão feitas várias mudanças a nível de equipa, depois de conhecidas estas acusações. Ed Glavin, um dos três produtores executivos que foi identificado em vários dos relatos, é uma das saídas mais prováveis.

“Identificámos várias mudanças a nível de colaboradores, assim como medidas apropriadas para lidar com os problemas que foram levantados e estamos a dar os primeiros passos para as implementar”, refere um comunicado citado pela Deadline. O texto refere que, embora nem todas as alegações tenham sido corroboradas, a empresa está desapontada “com as primeiras conclusões da investigação” que “indicam algumas faltas relacionadas com a gestão diária do programa”.

“Qualquer um que me conheça sabe que isto é o oposto do que acredito e daquilo que queria para o nosso programa”, escreveu Ellen DeGeneres numa carta dirigida à sua equipa. “Não tenho conseguido estar a par de tudo e confiei noutros para fazerem os seus trabalhos da forma que eu faria”, acrescenta a apresentadora. “O meu nome está no programa e em tudo o que fazemos, e eu assumo a responsabilidade.”

A investigação levada a cabo pelo BuzzFeed detalha incidentes onde os colaboradores dizem ter sido marginalizados, castigados ou mesmo despedidos por falarem sobre discriminação, por tirarem licenças de saúde mental ou por irem a funerais de membros da família, entre outras situações. As acusações vão de microagressões racistas, a piadas sobre confundirem duas colaboradoras negras com o mesmo penteado.

Passado pouco tempo da publicação do comunicado de Ellen e da Warner Bros., o BuzzFeed fez mais uma revelação, dizendo que três dezenas de antigos colaboradores do talk-show denunciaram mais situações de má conduta contra Ed Glavin e contra outros produtores séniores, contando-se entre essas apalpões, beijos e solicitação de sexo oral.

Texto editado por Bárbara Wong

Sugerir correcção