Queda do BPP: credores criticam lentidão da comissão liquidatária

Credores desesperam com “lentidão” da justiça e com o trabalho da comissão liquidatária do antigo banco, nomeada pelo Banco de Portugal.

Foto
dro daniel rocha

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) condenou o antigo presidente do Banco Privado Português (BPP) João Rendeiro a cinco anos e oito meses de prisão por vários crimes de falsidade informática e falsificação de documentos. A decisão da Relação agrava, em oito meses, a condenação de primeira instância, no âmbito de um processo-crime movido pelo Ministério Público, por actos de gestão que geraram perdas avultadas para uma parte substancial dos seus clientes, muitos deles ainda credores.