Governador do Banco de Portugal considera que tem condições para se manter no cargo e considera "muito perigoso" o que estão a fazer à instituição. Na extensa audição no Parlamento, disse que não retirou a idoneidade a Ricardo Salgado mais cedo, porque não tinha "segurança jurídica".