Coronavírus: quais os sintomas e quando devo consultar um médico?

Segundo a Direcção-Geral da Saúde, a maioria das pessoas infectadas apresentam sintomas de infecção respiratória aguda ligeiros a moderados como febre, tosse e dificuldade respiratória.

,Infecção
Foto
Paulo pimenta

Os coronavírus são uma vasta família de vírus que pode afectar pessoas e animais. No homem sabe-se que vários coronavírus provocam infecções respiratórias, desde constipações comuns a doenças mais severas, como a Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS).

O novo coronavírus (SARS-CoV-2), que provoca a doença covid-19 e que surgiu, em Dezembro de 2019, em Wuhan, na China, já matou mais de 10.000 pessoas em todo o mundo. Em Portugal, há, para já, 1020 casos confirmados de infecção e registo de seis mortes.

Quais são os sintomas da covid-19?

Segundo a Direcção-Geral da Saúde (DGS), a maioria das pessoas infectadas apresentam sintomas de infecção respiratória aguda ligeiros a moderados, tais como:

  • Febre (temperatura superior a 37,5ºC)
  • Tosse
  • Dificuldade respiratória (falta de ar)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acrescenta à lista de sintomas mais comuns o cansaço e sublinha que a tosse é geralmente seca.

De acordo com a OMS, alguns pacientes podem apresentar sinais e sintomas (que costumam ser ligeiros e começam gradualmente) idênticos aos da gripe sazonal, tais como:

  • Dores corporais
  • Congestão e corrimento nasal
  • Garganta inflamada
  • Diarreia

Em casos mais graves, a covid-19 pode causar pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos, e eventual morte. Os mais velhos ou pessoas com outros problemas de saúde — tensão arterial alta, problemas cardíacos, diabetes, cancro — estão mais propensas a desenvolver doença graveContudo, a DGS sublinha que “a maioria dos casos recupera sem sequelas”.

A OMS alerta ainda que algumas pessoas infectadas não desenvolvem quaisquer sintomas e que a maioria (cerca de 80%) recupera da doença sem precisar de tratamento especial. Algumas pessoas infectadas apresentam também sintomas ligeiros, particularmente nas fases iniciais da doença, sendo possível ter apenas uma tosse ligeira e não se sentir doente.

Quando devo consultar um médico?

Se tem febre, tosse ou dificuldade em respirar e tiver estado em contacto com uma pessoa infectada por covid-19, ou tiver regressado recentemente de uma área afectada, deve procurar ajuda médica o quanto antes para reduzir o risco de desenvolver uma infecção grave e certifique-se que partilha o seu historial de viagens recentes com o seu prestador de cuidados de saúde. Mas, antes de se dirigir a qualquer instituição de saúde, contacte primeiro a linha SNS 24 (808 24 24 24) ou o seu médico de família ou equipa de saúde.

Após este contacto com o SNS 24 e validação da história clínica, os profissionais de saúde irão determinar se é necessário realizar um teste para covid-19.

O SNS 24 é o contacto ideal para os casos suspeitos de covid-19 porque encaminha os doentes para o local mais adequado, sendo, por isso, o contacto mais importante e organizado. Devido à enorme procura, a linha SNS 24 foi recentemente reforçada com a contratação de mais 81 enfermeiros e estão a ser equacionadas outras opções para aumentar a capacidade de resposta desta linha.

Porém, o Ministério da Saúde apela às pessoas que apenas precisam de informação sobre o novo coronavírus que optem por esclarecer as suas dúvidas por e-mail ou através de outros sites e meios de comunicação, deixando a linha de atendimento pessoal do SNS 24 desimpedida para as situações que exigem triagem de sintomas.

Já os utentes sem suspeita de covid-19 devem contactar o seu centro de saúde, preferencialmente por telefone ou por e-mail. Apenas se devem deslocar a uma unidade de saúde quando for absolutamente necessário ou por indicação do médico ou enfermeiro após contacto telefónico.

Quem tem febre, tosse ou dificuldades respiratórias não deve ir trabalhar. Entre em isolamento se começar a sentir-se mal, mesmo que com sintomas ligeiros tais como dor de cabeça, febre baixa (37,3º C ou acima) ou nariz entupido, até recuperar. Mas lembre-se: quem está em isolamento profiláctico voluntário tem regras a cumprir, mesmo em família, e deve evitar partilhar copos e talheres, ficar isolado no quarto e não receber visitas.

Além disso, conforme referiu Graça Freitas, directora-geral da Saúde, “as pessoas que tiverem doenças crónicas devem tê-las o mais controladas possível, ter a medicação em dia e seguir os conselhos da equipa de saúde”.

E para evitar um possível contágio, há algumas medidas que deve adoptar, entre as quais:

  • Manter o distanciamento social;
  • Lavar as mãos com mais frequência e cuidado (durante 20 segundos, com água e sabão ou com uma solução à base de álcool a 70%);
  • Limpar regularmente as superfícies e objectos;
  • Cumprir a etiqueta respiratória (como tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço e deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar um contacto próximo com pessoas com infecções respiratórias;
  • Não tocar com as mãos no rosto (olhos, nariz e boca);
  • Não partilhar objectos pessoais ou comida.

Governos e autoridades de saúde estão a tomar fortes acções de cada vez que um novo caso de covid-19 é identificado. Certifique-se que cumpre todas as restrições impostas, nomeadamente em relação a viagens, movimentos diários e distanciamento social. Como sublinha a OMS, é através da colaboração e cooperação de todos que poderemos conter a propagação desta pandemia.

Sugerir correcção