Os conselhos detalhados da DGS para quem está em casa, em isolamento ou com tosse

Portugal tem 78 casos positivos, 637 suspeitos e 133 à espera de resultado.

Foto
LUSA/ANTÓNIO COTRIM

No mesmo dia que se soube do primeiro doente recuperado de covid-19 no país, Graça Freitas, directora-geral da saúde, focou a importância de todas as pessoas contribuírem na resposta à pandemia. Quem tem tosse ou febre não deve ir trabalhar e quem está em isolamento profiláctico voluntário tem regras a cumprir, mesmo em família. Deve evitar partilhar copos e talheres, ficar isolado no quarto e não receber visitas.

O relatório da situação publicado durante a manhã dá conta de 78 casos positivos, 637 suspeitos e 133 à espera de resultado. A maioria dos casos está concentrada no Norte do país, situação que levou o Hospital de São João a aplicar medidas restritivas de visitas e a suspender a actividade programada e não urgente.

“Estamos perante um enorme desafio que carece da resposta de todos”, afirmou Graça Freitas, na conferência conjunta com o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales. “A sociedade tem várias formas de responder a este problema, algumas que dependem de cada um de nós e que são medidas simples e com grande impacto”, disse a responsável.

“A higienização das mãos deve ser mais frequente e cuidadosa, fazer-se uma limpeza mais regular de superfícies e dos objectos, cumprir a etiqueta respiratória para se ter o cuidado de não passar gotículas para outras pessoas”, exemplificou.

Os cuidados, disse, passam também por cada um tomar conta da sua saúde. “As pessoas que tiverem doenças crónicas devem tê-las o mais controladas possível, ter a medicação em dia e seguir os conselhos equipa de saúde. As pessoas que tiverem febre, tosse, dificuldades respiratórias não devem ir trabalhar.” Repetindo o apelo das últimas semanas, Graça Freitas voltou a enfatizar a necessidade de haver distanciamento social, reduzindo os contactos aos necessários.

Numa altura em que os casos positivos crescem de dia para dia e vão continuar a aumentar – “estamos numa tendência crescente, mas não há crescimento exponencial”, referiu a directora-geral da Saúde –, e que mais pessoas poderão ficar em isolamento profiláctico em casa, Graça Freitas explicou as regras que é preciso cumprir.

“Ficar em casa e isso significa não ir ao trabalho, escola, não usar locais públicos. Não deve receber visitas em casa. Se tiver sintomas, antes de ir a uma instituição de saúde ligue para o SNS24, mas também para o seu médico ou equipa de saúde. Pode usar o telefone e a internet para se actualizar e manter o contacto social. Isole-se de outras pessoas”, especificou.

Mesmo com a família há cuidados que têm de se manter, como estar num quarto separado, de preferência com casa de banho própria. “Se não tiver, reforçar a higiene das superfícies. Não partilhar copos, talheres, roupas de camas. Se pedir entregas online, pede para ficar à porta de casa e tomar as refeições no quarto.”

Sugerir correcção