Torne-se perito

Dois meses nas Bahamas? É o prémio do novo concurso da Airbnb

Oito semanas, três ilhas e a possibilidade de ajudar as comunidades locais entre a pesca, a agricultura e os recifes de corais. Há cinco viagens em jogo.

Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb
Fotogaleria
Airbnb

A Airbnb tem-se esmerado em diversificar os seus aposentos e iniciativas. De experiências culinárias – incluindo em Portugal com avós da Trafaria ou drag queens de Lisboa, a estadias no castelo de Downton Abbey, num palácio de marajá em Japur, um sono artístico no Louvre ou até na casa da Barbie. Agora, o portal de reservas promete levar cinco viajantes até às Bahamas e durante dois meses.

PÚBLICO -
Foto
A Airbnb refere que os participantes poderão “experienciar as Bahamas de uma nova forma” e “ajudar a transformar um país que depende do investimento dos visitantes”. Bahamas Sabbatical

No novo concurso de viagens promovido pela Airbnb, os vencedores terão a oportunidade de conhecer “praias de areia rosa” e “um dos maiores sistemas de recifes do mundo”, mas também poderão contribuir para a construção de um “futuro mais sustentável” neste país insular que precisa de se reerguer no rescaldo do furacão Dorian.

É esta a premissa da Sabática das Bahamas, que sucede a iniciativas similares em que houve a oferta de um Verão numa aldeia italiana e a oportunidade de acompanhar um expedição científica à Antárctida, e que, na sua génese, refere a empresa, pretende “inspirar as pessoas a retribuir às pessoas e aos lugares em seu redor”.

PÚBLICO -
Foto
O Bahamas National Trust quer apostar em opções sustentáveis que ajudem a renovar o ecossistema e a economia do arquipélago. Bahamas Sabbatical

A iniciativa resulta de uma parceria que une a Airbnb ao Bahamas National Trust, que assume como missão fundamental “proteger o ambiente natural em mais de 30 parques nacionais especiais” neste arquipélago com cerca de 700 ilhas.

O objectivo desta organização sem fins lucrativos passa por colocar os cinco vencedores do concurso ao lado dos residentes para trabalhar numa lógica de preservação dos recursos naturais, e “capacitar os líderes da comunidade para orientar os esforços de sustentabilidade” no futuro.

Em Abril e Maio, os participantes vão passar pelas ilhas de Andros, Exuma e Eleuthera. Nos diferentes destinos insulares, ajudarão a desenvolver um programa de restauração de recifes de coral, participarão na conservação de conchas e construção de barcos tradicionais, aprenderão técnicas de propagação de árvores nativas e criarão uma quinta de chá de arbustos, entre outras actividades que podem passar pela agricultura sustentável ou pela pesca ética.

A ideia é que, ao fim do programa de dois meses, os cinco voluntários tenham “colaborado lado a lado com os líderes da comunidade” na criação de “programas duradouros”, que consigam assegurar a sustentabilidade das Bahamas e “gerar impacto económico para as gerações vindouras”.

Nesta possibilidade que os participantes têm de “experienciar as Bahamas de uma nova forma”, poderão não só colaborar de forma próxima com a população como também “ajudar a transformar um país que depende do investimento dos visitantes”.

As candidaturas para o programa abriram esta terça-feira e encerram a 18 de Fevereiro. Os candidatos devem ter mais de 18 anos e dominar a língua inglesa.

Texto editado por Luís J. Santos

Sugerir correcção