Dormir no Louvre ao lado de Mona Lisa? Há um concurso do Airbnb para uma noite no museu

As participações estão abertas até 12 de Abril.

,Museu
Fotogaleria
DR/airbnb/Julian Abrams
,Museu
Fotogaleria
DR/airbnb/Julian Abrams
,Monalisa
Fotogaleria
DR/airbnb/Julian Abrams
,Museu
Fotogaleria
DR/airbnb/Julian Abrams
,Museu
Fotogaleria
O vencedor do concurso (e um convidado à sua escolha) dormirão dentro da pirâmide do Louvre Reuters/CHARLES PLATIAU

É certo e sabido que Mona Lisa é uma das atracções mais visitadas do Louvre: todos os dias, a obra de Leonardo da Vinci recebe milhares de visitantes que se amontoam à sua frente, de máquina fotográfica em riste. Para a poder visitar de forma mais calma – com a possibilidade de dormir no Louvre, o museu mais visitado do mundo – a plataforma de alojamento turístico Airbnb associou-se ao museu e criou um concurso que permitirá ao vencedor dormir por uma noite dentro do museu, na emblemática pirâmide de vidro do Louvre (cujos 30 anos dão mote à campanha). 

Além dos dados pessoais, é pedido um pequeno texto (num máximo de 800 caracteres) que responda à pergunta: “O que o torna o hóspede perfeito de Mona Lisa?”. A resposta vencedora dará ao participante a possibilidade de dormir uma noite no museu, oferecendo ainda as despesas de viagem e alojamento dos restantes dias. As participações no concurso para “conhecer o museu mais famoso do mundo quando as portas se fecham e as luzes se apagam” estão abertas até ao final do dia 12 de Abril. 

O prémio contempla ainda um “concerto acústico intimista” nos apartamentos de Napoleão III (na ala Richelieu do museu) e um jantar ao lado da escultura Vénus de Milo.

PÚBLICO -
Foto
O vencedor petiscará ao lado da Gioconda CHARLES PLATIAU/REUTERS

O concurso que mostra La Gioconda como “anfitriã” é uma associação entre a plataforma online de alojamento turístico Airbnb e o Museu do Louvre, o museu internacional de belas artes e antiguidades que, só em 2018, ultrapassou o recorde de dez milhões de visitantes. Os estrangeiros representam quase três quartos dos visitantes, sendo que os americanos lideram a tabela com quase 1,5 milhões de entradas. No entanto, os cidadãos franceses continuam a ser a principal nacionalidade que visita o Louvre (25% ou 2,5 milhões dos 10 milhões de visitantes registados). 

Como recorda a Lusa, o Airbnb faz esta parceria num momento em que está sob fogo de críticas da presidente da Câmara de Paris por não respeitar as regras em termos de alojamentos. A Câmara intentou uma acção judicial contra a plataforma, passível de uma indemnização de 12,5 milhões de euros, por ter colocado em linha 1000 alojamento não registados, como prevê a lei francesa do alojamento local.

Para concorrer basta aceder à página oficial do passatempo.