Falha da manutenção em Espanha origina queda do motor em automotora na linha do Minho

Uma fissura num veio que não foi devidamente reparada e omissões nos procedimentos de inspecção, por parte da Renfe Fabricación y Mantenimiento, ditaram a queda do motor. O aluguer de 20 automotoras UTD 592 espanholas custa à CP cerca de 7,5 milhões de euros por ano

,Comboios de Portugal
Foto
NELSON GARRIDO

O Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) revelou que o acidente ocorrido a 31 de Janeiro deste ano com uma automotora espanhola, ao serviço da CP, na linha do Minho, teve origem na “inadequada execução da soldadura de reparação” de uma fissura e em omissões nos procedimentos de controlo das tarefas de manutenção.