Automotora perde o motor na linha do Minho

Uma automotora espanhola, ao serviço da CP, perdeu o motor quando circulava entre o Porto e Valença, na linha do Minho.

Foto
Unidade Tripla Diesel da série 592 (imagem de arquivo) Nelson Garrido

Uma automotora espanhola, ao serviço da CP, perdeu esta noite o motor quando circulava entre o Porto e Valença, na linha do Minho. O incidente aconteceu pelas 21h40 perto de Afife, mas não teve outras consequências a não ser danos materiais na composição e na via-férrea. 

Os passageiros, porém, é que não ganharam para o susto, pois o motor caiu com a automotora em andamento tendo sido arrastado, com grande ruído, debaixo da composição ao longo da via, levantando balastro e danificando travessas. O risco de descarrilamento esteve iminente.

O caso aconteceu com o inter-regional que saiu do Porto às 20h15 com destino a Valença onde deveria chegar às 22h20. Os passageiros foram encaminhados para os seus destinos através de táxi. 

Como a automotora ficou parada em plena via, foi enviado um comboio de socorro desde Contumil (Porto) para a reparar ou rebocar.

A composição avariada é uma Unidade Tripla Diesel da série 592, uma das 20 automotoras que a CP alugou à sua congénere espanhola Renfe para suprir a falta de material diesel e pelas quais paga sete milhões de euros por ano. Na passada segunda-feira, 29 de Janeiro, o governo autorizou a CP a alugar mais quatro automotoras da mesma série, pelas quais pagará mais 4,6 milhões de euros nos próximos quatro anos.