Análise

Convém nunca esquecer a História

A guerra é sempre implacável, por mais justa que seja a sua causa. Por isso, as suas lições devem perdurar na memória dos homens.

1. Não podia nem devia passar em claro o 75.º aniversário do desembarque da Normandia, quando, sob comando americano, a maior operação anfíbia de que reza a História iniciou o caminho da libertação da Europa do poder nazi. A 6 de Junho de 1944, sete mil navios de guerra e 11 mil aviões transportaram uma gigantesca força militar que se revelaria imparável até à completa derrota do III Reich. Todos nós conhecemos melhor ou pior a batalha da Normandia. Talvez não conheçamos tão bem a outra frente de combate, travada a Leste pelo Exército soviético, ainda mais feroz e mais mortífera, porque os generais alemães tinham decidido centrar aí o grosso das suas defesas. As tropas aliadas pararam antes de Berlim para permitir ao Exército Vermelho tomar a cidade. Conhecem-se hoje as brutalidades cometidas pelos soldados soviéticos, evitáveis se tivesse sido outra a decisão aliada. A guerra é sempre implacável, por mais justa que seja a sua causa. Por isso, as suas lições devem perdurar na memória dos homens.