• Depois da reunião com Carlos Costa e antes de se encontrar com António Costa, o comissário europeu mostrou mais optimismo em relação a Portugal. E disse que estratégia para o mal-parado é “ambiciosa”.

  • Reavaliação de activos é a última de uma série de operações realizadas ao longo dos anos em que a racionalidade financeira pode estar ausente, mas o impacto imediato no défice é um incentivo.

  • Comissão pede mais reformas estruturais para manter crescimento, incluindo “medidas mais firmes para reduzir o elevado défice tarifário no sector da electricidade”.

  • A sua obsessão com o défice, era a recusa do fatalismo do atraso e da dependência. Por isso, era intransigente no rigor e na disciplina. Temos já saudades da sua voz.

  • A confirmar-se previsão do FMI, Portugal poderá chegar ao final do ano com um crescimento de 2,5%.

  • No relatório sobre a última visita que fez a Portugal, o Fundo Monetário Internacional elogia as medidas para estabilizar a banca. Mas insiste que é preciso resolver o problema do malparado e mantém pressão para avançar com reformas estruturais. Défice de 1,5% atingido "confortavelmente".