Editar
  • Obrigado pela atenção. Corrigida

  • Perdoe-me não me dirigir a si pelo seu nome, mas o seu anonimato não permite outra coisa. Quanto ao que escreve, consegue encontrar um responsável só? Por outras palavras, há "um verdadeiro responsável" que não tenha sido nomeado neste ou nas dezenas de textos que assinei até agora sobre o PRR? Se falta alguém, por favor ajude-nos. Uma das mais-valias de trabalhar neste jornal é uma audiência que sabe muito. Sabe quem é o dono do jornal, sabe muito dos assuntos que se abordam, muitos leitores são especialistas. Tenho aprendido muito com eles. Por isso, além da deselegante e jocosa mensagem que me dirige, partilhe o que sabe sobre os "atrasos" (aspas suas) do PRR com a comunidade. Todos lhe estaremos gratos.

  • Bom dia Rui Marques. Pode consultar o anexo à decisão que aprova o PRR já após a revisão de 2023 no seguinte endereço: https://recuperarportugal.gov.pt/wp-content/uploads/2024/03/ST-13351-2023-ADD-1-REV-1_pt.pdf. O acordo operacional entre Portugal e Bruxelas também tem estes elementos, mas a versão em inglês que encontra quer na Estrutura de Missão Recuperar Portugal quer na página da Comissão Europeia, não é fiável porque tem erros de transcrição em datas e outros elementos importantes. Porém, o acordo operacional tem, muitas vezes, mais detalhes sobre como é que o país prova que cumpriu um marco ou uma meta. Cumprimentos

  • Caro(s) leitor(es), recomendo a leitura mais atenta. Nesta notícia está claramente explicitado que: 1. Portugal pode pedir o dinheiro retido em breve quando ultrapassar vetos presidenciais e convencer mais autarquias a aceitar a transferência de poder sobre centros de saúde; 2. Os três objectivos falhados dizem respeito (sublinhado duplo) ao período de 30 de Junho de 2022 a 30 de Junho de 2023. Portanto, o atraso acrescido decorrente, por exemplo, dos vetos presidenciais não tem o peso que lhe conferem nestes comentários, que aliás só demonstram que desconhecem que as três reformas em causa levam meio ano a um ano de atraso. Continue a informar-se no PÚBLICO sobre o PRR, com as muitas notícias que tenho assinado. Não requer grande habilidade. Cumprimentos