Mário Centeno: “Manter a inflação elevada teria um custo recessivo ainda maior”

Mário Centeno, governador do Banco de Portugal, pede às empresas e aos Estados para ajudarem no combate à inflação. E apresenta os seus argumentos sobre a subida das taxas de juro.

Foto
Mário Centeno é o único português presente nas reuniões do conselho de governadores do BCE Rui Gaudêncio

Na semana a seguir a mais uma subida das taxas de juro por parte do Banco Central Europeu (BCE) e depois de António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa terem acusado a autoridade monetária de, com a sua política, poder estar apenas a causar uma recessão, Mário Centeno, o único português presente nas reuniões do conselho de governadores do banco central, apresenta os seus argumentos.

Sugerir correcção
Ler 32 comentários