Miguel Milhão, o aborto e a cultura de cancelamento

Imaginem que no sábado Rita Belinha tinha manifestado o seu descontentamento acerca da decisão do Supremo. E que, na segunda, Miguel Milhão telefonava-lhe a dizer: “A sua opinião é indigna, está despedida.”

Miguel Milhão fundou em 2007 a Prozis, uma empresa dedicada à venda de suplementos desportivos que ao fim de 15 anos exporta para mais de 100 países. Além de ser um empresário de sucesso, Milhão tem perigosas opiniões, e no passado fim-de-semana decidiu expressar uma delas no LinkedIn, comentando a decisão do Supremo americano de reverter Roe vs. Wade. Escreveu ele: “Parece que os bebés por nascer recuperaram os seus direitos nos EUA! A natureza está a curar-se!”

Sugerir correcção
Ler 149 comentários