Alemanha faz soar os alarmes sobre os riscos dos ataques económicos de Putin

Conselho Europeu debateu as consequências económicas da guerra de agressão da Rússia, que fez disparar os preços da energia e dos bens alimentares. Corte do abastecimento de gás natural russo ameaça paralisar a actividade industrial e mergulhar a Europa numa nova recessão.

Foto
O chanceler alemão, Olaf Scholz, à conversa com os primeiros-ministros búlgaro, Kiril Petkov, e húngaro, Viktor Orbán, em Bruxelas JOHANNA GERON/Reuters

A guerra de agressão da Rússia voltou a estar no centro da discussão dos chefes de Estado e de governo da União Europeia, esta sexta-feira, em Bruxelas. Mas no segundo dia de trabalhos do Conselho Europeu, depois de terem reafirmado o seu compromisso inabalável com a Ucrânia, oficialmente integrada no processo de alargamento da UE com o estatuto de país candidato à adesão, os líderes mudaram de agulha para avaliar as graves consequências económicas da guerra: a inflação e a subida dos preços da energia, mas, principalmente, as acções de Moscovo que ameaçam provocar uma crise alimentar global e mergulhar a Europa numa nova recessão.

Sugerir correcção
Ler 124 comentários