Bloco central domina Mesa da AR e deputado do Chega acusa plenário de racismo

Surpresa da tarde foi a não eleição de Cotrim de Figueiredo – que não vai insistir – e PS sugere que a culpa é do PSD. Edite Estrela e Adão Silva são vice-presidentes.

Foto
Diogo Pacheco de Amorim, na primeira fila, do lado direito, e Gabriel Mithá Ribeiro, atrás de si, foram os dois nomes do Chega chumbados para vice-presidentes do Parlamento Daniel Rocha

É uma Mesa de bloco central aquela que vai liderar o Parlamento nos próximos quatro anos e meio, apenas composta por deputados do PS e do PSD. E arranca sob a acusação de bloqueios, racismo e imobilismo. Se o chumbo dos nomes propostos pelo Chega para a vice-presidência da Assembleia da República era esperado, a surpresa da tarde desta quinta-feira foi a não eleição do liberal João Cotrim de Figueiredo por oito votos (teve 108 e precisava de 116). Enquanto André Ventura promete continuar a levar nomes à eleição, a IL não tenciona voltar ao assunto.

Sugerir correcção
Ler 14 comentários