Em Lisboa há uma exposição de esculturas de açúcar e um livro de homenagem a Maria de Lourdes Modesto

O projecto é uma iniciativa do restaurante JNcQUOI com esculturas de açúcar da artista Alexandra Albergaria.

natal,alimentacao,gastronomia,escultura,livros,lisboa,
Fotogaleria
As receitas do livro, à venda por 230€, revertem na totalidade a favor da Cáritas Miguel Serradas
impar,maria-lourdes-modesto,alimentacao,livros,lisboa,
Fotogaleria
Morgadinhos de Amêndoa Nuno Correia
natal,alimentacao,gastronomia,escultura,livros,lisboa,
Fotogaleria
O livro está à venda no JNcQUOI, em Lisboa Miguel Serradas
natal,alimentacao,gastronomia,escultura,livros,lisboa,
Fotogaleria
Miguel Serradas
natal,alimentacao,gastronomia,escultura,livros,lisboa,
Fotogaleria
As fotografias do livro são de Nuno Correia Miguel Serradas

Os 29 pratos mais emblemáticos da “diva da gastronomia portuguesa”, Maria de Lourdes Modesto, estão em exposição no restaurante JNcQUOI, em Lisboa. Mas há uma particularidade: são feitos em açúcar, pelas mãos da artista Alexandra Albergaria. As obras de artes em forma de comida estão publicadas também em livro, numa edição limitada, para homenagear a autora de Cozinha Tradicional Portuguesa. O livro está à venda no espaço do restaurante, na Avenida da Liberdade, e é uma edição limitada de 500 unidades. Já a exposição não tem data de término e as esculturas passam a fazer parte da “mobília”.

O livro Maria de Lourdes Modesto engloba 42 receitas do livro Cozinha Tradicional Portuguesa — editado em 1982 e que já vendeu mais de 300 mil exemplares — esculpidas em açúcar por Alexandra Albergaria. São 258 páginas, num projecto fotografado por Nuno Correia, o premiado fotógrafo português, e textos do gastrónomo Virgílio Gomes. A receita de cada um dos livros, vendido a 230€, reverte, na totalidade, a favor da Cáritas.

As quase três dezenas de esculturas escolhidas para a exposição encontram-se um pouco por todo o lado no espaço do JNcQUOI Avenida, camufladas na decoração. Esteja atento ao Peru, às Ameijoas à Bulhão Pato, ao Bolo-rei, ao Polvo à Lagareiro, ao folar, ao leite-creme e à tarte de amêndoa — são os favoritos de Alexandra Albergaria. A escultora destaca este desafio como “muito aliciante”. Em 16 anos de carreira foi a primeira vez que esculpiu comida. “A única base foram as fotografias do livro original. Todas as peças são à escala, feitas e pintadas à mão”, explica ao PÚBLICO.

Bolinhos de Bacalhau Nuno Correia
Camaféus Nuno Correia
Leite Creme Nuno Correia
Peixinhos da Horta Nuno Correia
Pudim de Natal Nuno Correia
Trouxas das Caldas Nuno Correia
Fotogaleria
Nuno Correia

O que lhe dá mais gosto, confessa, “é ver a surpresa das pessoas ao perceberem que esta é uma escultura numa matéria-prima que não é normal ser utilizada para arte”. Para conferir maior realismo, a artista utiliza pós comestíveis e pinta cada detalhe à mão, uma vez que o açúcar é branco. “Trabalho a peça como se fosse porcelana ou outra matéria-prima. Não pode apanhar humidade, se não derrete. É seca ao ar”, explica.

Para escolher as receitas a esculpir, passou algum tempo com Maria de Lourdes Modesto, de quem se diz “amiga de verdade”. “É alguém por quem tenho o maior respeito, carinho e admiração. Foi pioneira”, elogia. Também pioneira é esta forma de homenagem, destaca: “Nunca tinha sido feito uma homenagem com esculturas de açúcar. E as homenagens devem ser feitas enquanto as pessoas cá estão.”

O desafio partiu do JNcQUOI pela relação próxima que Maria de Lourdes Modesto tem com o espaço e com o chef aos comandos da cozinha, António Bóia. “É fantástico podermos, ainda em vida, fazer esta homenagem à nossa diva da gastronomia”, salienta o CEO do grupo Amorim Luxury, Miguel Guedes de Sousa, na apresentação do livro. Paralelamente ao livro e à exposição, será incorporada na carta do restaurante uma selecção das 12 receitas mais icónicas de Maria de Lurdes Modesto, a partir do Natal.

Foto
Maria de Lourdes Modesto, em 2014 Nuno Ferreira Santos

Maria de Lourdes Modesto, hoje com 91 anos, tornou-se conhecida pelos portugueses por apresentar o primeiro programa de culinária de que há memória em Portugal, na RTP, com início em 1958 e emitido durante 12 anos. Desde então, publicou inúmeros livros de cozinha portuguesa, dos quais se destacam a Grande Enciclopédia da Cozinha, Cozinha Tradicional Portuguesa e Receitas Escolhidas.

O livro homónimo, com uma selecção de receitas, as fotografias de Nuno Correia das esculturas de açúcar de Alexandra Albergaria e os textos de Virgílio Gomes, está disponível para venda no JNcQUOI. Já a exposição é de entrada livre. Se passar na Avenida da Liberdade, basta entrar e dizer ao que vai.

Sugerir correcção
Comentar