“Geringonça”: quando a esquerda era feliz e não o sabia

António Barreto estranhou a sua longevidade, António Costa Pinto a imprevisibilidade do corte, André Freire culpa toda a esquerda e Domingos Lopes diz que Bloco de Esquerda condicionou o PCP. Assim, o fim da “geringonça” era inevitável.

Foto
Daniel Rocha

Às 18h22 desta quarta-feira foi o desenlace na Assembleia da República. Todas as bancadas parlamentares, à excepção da dos socialistas, dos três deputados do Pessoas-Animais-Natureza (PAN) e das duas deputadas não-inscritas, Cristina Rodrigues e Joacine Katar-Moreira, votaram contra o Orçamento do Estado de 2022. Pela primeira vez, um Orçamento sucumbiu ao crivo da primária votação na generalidade. Sinal inequívoco de rejeição.

Sugerir correcção
Ler 33 comentários