Começou o julgamento do dieselgate, sem o ex-líder da VW que “sabia de tudo”

Quatro ex-funcionários arriscam até dez anos de prisão. Problemas de saúde afastam Martin Winterkorn, ex-CEO da marca. Cerca de 125 mil portugueses foram afectados.

uniao-europeia,ambiente,alemanha,europa,transportes,poluicao,
Fotogaleria
No banco dos réus sentam-se quatro antigos funcionários de topo do fabricante alemão Reuters/POOL
uniao-europeia,ambiente,alemanha,europa,transportes,poluicao,
Fotogaleria
Martin Winterkorn, antigo presidente da VW, será julgado num processo à parte. Demitiu-se cinco dias depois de o escândalo ter rebentado Reuters/FABRIZIO BENSCH

Quatro antigos responsáveis do grupo Volkswagen (VW) começaram a ser julgados nesta quinta-feira, no Tribunal de Braunschweig, acusados pelo Ministério Público de diversos crimes, incluindo fraude e associação criminosa, no caso da manipulação das emissões de gases em certos motores diesel. O julgamento teve início precisamente seis anos depois de ter rebentado o escândalo “dieselgate”, considerado uma das maiores fraudes empresariais na Alemanha, que manchou a reputação da VW e custou milhares de milhões em multas e acordos extra-judiciais.