Durante nove dias, Ílhavo vai servir Bacalhau ao Cais

Município ilhavense preparou novo evento gastronómico em torno do “fiel amigo”. Acontece de 5 a 14 de Agosto na praia da Costa Nova. “Alguns jantares já estão próximos de esgotar”.

alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Camoniana
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Casa do Povo
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Carmo
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
CCD
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
BandaBVI
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Bombeiros
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Arrais
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Tulha
,Frutos do mar
Fotogaleria
Etnográfico
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
GDG B
,Cozinha vegetariana
Fotogaleria
Confraria
alimentacao,lazer,gastronomia,fugas,aveiro,pescas,
Fotogaleria
Chio Po Po

O que é que se come em Ílhavo entre os dias 5 e 14 de Agosto? Bacalhau e seus derivados, nas mais variadas formas e feitios. Desde pizza de bacalhau, passando pela afamada chora e pelo tradicional bacalhau com broa, há muito por onde escolher nos nove jantares que a Câmara Municipal de Ílhavo irá promover, com a ajuda da Confraria Gastronómica do Bacalhau e de nove associações do município. O evento irá “atracar” no Cais Criativo da Costa Nova, de frente para o mar e com vista privilegiada para o pôr-do-sol.

Com o tradicional Festival do Bacalhau suspenso – a pandemia motivou o cancelamento da edição do ano passado e também a deste ano , a autarquia não abdica dos seus créditos de terra com fortes tradições bacalhoeiras e, por isso, decidiu promover um novo evento gastronómico. Não substitui, nem se se pretende que substitua, o mega evento habitualmente realizado no Jardim Oudinot, mas tem ingredientes muito especiais.

Foto
CCD

São nove ementas diferentes, uma para cada dia do programa – no domingo, dia 8, o evento faz uma pausa , antecedidas por uma bebida ao pôr-do-sol e acompanhadas por alguns momentos culturais. Entre as 19h30 e as 22h30, os comensais terão a oportunidade de degustar um menu composto por entrada, prato principal e sobremesa. Todos os menus (20 euros por adulto e 12,50 euros por criança) incluem, ainda, o famoso pão de Vale de Ílhavo e uma bebida (à escolha entre vinho da Bairrada, cerveja, água ou sumo).

Atendendo às restrições impostas pela pandemia, os jantares estão sujeitos a reserva prévia (através da bilheteira online BOL) e limitados a uma lotação total de 66 pessoas. “Alguns jantares já estão próximos de esgotar”, alerta Hugo Pequeno, da organização. Os interessados devem, assim, consultar o programa, escolher o seu menu favorito (cada associação assume uma ementa) e garantir o seu lugar.

Aqueles que quiserem levar para casa esse modo ilhavense de confeccionar o bacalhau, têm sempre a possibilidade de adquirir o livro “A nossa mesa: “Samos, caras e línguas: A Gastronomia do Festival do Bacalhau”, que vai ser lançado e vendido durante o Bacalhau ao Cais (pelo preço especial de 14,40 euros; depois do evento é vendido a 18 euros).

Esta obra faz parte da trilogia que a Câmara de Ílhavo iniciou com o livro Chora e Feijão Assado - A gastronomia de bordo na pesca do Bacalhau, lançado no ano passado, no Festival Gastronomia de Bordo.

“Tem sido um grande sucesso, de tal forma que irá ter uma segunda edição”, anuncia Hugo Pequeno. Isto numa altura em que também já foi iniciado o trabalho de pesquisa que culminará no terceiro livro - só deverá ser lançado em 2022.