7 dias, 7 fugas: entre passeios e caminhadas, com romanos à mesa e Imaginarius à perna

Dos Jardins Abertos de Lisboa às caminhadas na Arrábida vão uns passos, de braço dado com Braga Romana à Mesa, caricaturas de Bob Dylan, um Festival da Paisagem ao centro, caiaques ao luar no Guadiana e Imaginarius à solta em Santa Maria da Feira.

fugas,artes,guadiana,setubal,braga,lisboa,
Fotogaleria
Em Lisboa, o Parque do Monteiro-Mor é um dos pontos no mapa dos Jardins Abertos Aline Macedo
lazer,fugas,
Fotogaleria
Braga Romana à Mesa DR
fugas,artes,guadiana,setubal,braga,lisboa,
Fotogaleria
Uma das caricaturas de Bob Dylan em exposição no Museu Virtual do Cartoon DR
lazer,fugas,
Fotogaleria
Festival da Paisagem no Geopark Naturtejo DR
fugas,artes,guadiana,setubal,braga,lisboa,
Fotogaleria
Em noite de super Lua, há passeios de caiaque no Guadiana LENSNMATTER
fugas,artes,guadiana,setubal,braga,lisboa,
Fotogaleria
O Subtil Prelúdio à Humanidade no palco do Imaginarius DR
fugas,artes,guadiana,setubal,braga,lisboa,
Fotogaleria
O Arrábida Walking Festival passa pela Ermida da Memória, no Cabo Espichel Daniel Rocha

Sábado, 22: Para o dia da biodiversidade, um “teatro da floração”

A sétima edição do festival que abre os portões dos jardins de Lisboa arranca no Dia Internacional da Biodiversidade. Ao longo de dois fins-de-semana (22 e 23 e 29 e 30 de Maio), e porque o confinamento não estraga a Primavera, os Jardins Abertos convidam a entrar nos espaços e ver o “teatro da floração” ao vivo e a cores. Além das visitas e percursos guiados a espaços “únicos” (públicos, privados e até secretos), há exposições, conversas e actividades de jardinagem, sustentabilidade e consciencialização ambiental. No canteiro das estreias estão o Jardim da Procuradoria Geral da República e o Claustro do Convento de Chelas, que se juntam aos espaços verdes de lugares como a Estufa Fria, o Palacete de São Bento, o Palácio Fronteira, o Príncipe Real, a Gulbenkian, o Parque do Monteiro-Mor, o Centro Ismaili ou o Parque Florestal de Monsanto. Da edição virtual, destaca-se o jardim da residência da Embaixadora de Espanha em Portugal. Tal como nas edições anteriores, todas as actividades são gratuitas, respeitando a ordem de chegada e a lotação de cada sítio. O programa completo está disponível aqui

Domingo, 23: Comer à grande e à romana

Braga torna a recuar mais de dois mil anos, aos tempos do domínio romano, para reavivar os costumes de então. A decorrer até 23 de Maio, com uma edição híbrida à moda contemporânea, o evento Braga Romana - Reviver Bracara Augusta vem servido por um roteiro gastronómico feito à medida da época, que passa por 19 restaurantes da cidade. Braga Romana à Mesa traz menus compostos por gustatio (entrada), primae-mensae (prato principal), secunda-mensae (sobremesa) e potio (bebida), com valores entre os 6,50€ e os 25€, para consumo in situ ou — e lá se vai o latim — em take-away. Tudo, garante a Associação Comercial de Braga que a organiza, confeccionado com alimentos que existiam no tempo dos romanos. 

Segunda, 24: A caricatura dos 80

No dia em que Bob Dylan faz 80 anos, o Museu Nacional da Imprensa desenha-lhe os parabéns com um postal caricaturado e multiplicado em dezenas de imagens, exibido numa montra virtual. A homenagem vem na forma de uma colecção de 120 desenhos seleccionados entre os que concorreram ao Prémio Especial de Caricatura do PortoCartoon 2019. Dylan, o poeta-cantautor que redefiniu a música popular e que conquistou o Nobel da Literatura em 2016, motivou um número recorde de participações, ficando à frente de Hemingway, Chaplin, Picasso, Woody Allen, Amália ou Cristiano Ronaldo, os “alvos” das edições anteriores. Com humor e traço necessariamente exagerado, “o lápis de dezenas de artistas revela um ídolo especial que não gosta de holofotes fora do palco”, elucida o museu, mostrando “inúmeros cambiantes da [sua] personalidade”. A exposição pode ser vista livre e interactivamente, a partir desta segunda-feira, em www.cartoonvirtualmuseum.org.

Terça, 25: Rumo à liberdade

Na região Centro de Portugal, o Geopark Naturtejo torna a abrir-se ao Festival da Paisagem, ao abrigo da Semana Europeia de Geoparques da UNESCO. Entre 22 de Maio e 6 de Junho, o convite é para voltar à liberdade dos espaços naturais, vivendo em comunhão com a natureza, sem esquecer a ciência e a arte envolvente. Desportos de aventura, encontros, formações, seminários, percursos BTT, exposições, artesanato, escultura e contos infantis fazem parte do vasto programa, que tanto passa por Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão como pelas plataformas online. As inscrições são obrigatórias; o programa pode ser consultado aqui.

Quarta, 26: Caiaques ao luar

Se ainda não tem planos para a próxima noite de super Lua (e última de 2021), fica a sugestão: um passeio de caiaque ao luar, no rio Guadiana. A proposta vem da empresa de animação turística NautiMértola que, em parceria com o Clube Náutico de Mértola, convida para uma voltinha ao cair da noite, iluminada e ampliada pela Lua cheia de 26 de Maio, que ganha o superlativo por se encontrar no ponto de órbita mais próximo da Terra. O passeio custa 13€ por pessoa (seguro incluído) e parte do Cais do Guadiana às 20h, seguindo em direcção à Casa Florestal, Azenhas e regresso ao cais, com duração prevista de duas horas e meia. As inscrições são feitas através dos contactos nautimertola@gmail.com, 966 527 968 ou 969 608 489.

Quinta, 27: Ansiosos pelo Imaginarius 

“Num ensaio sobre as ansiedades e vontades (aparentemente) fúteis, queremos o que nunca tivemos. Queremos os corpos suados, queremos festa, queremos dançar”. É assim que a Salto lança o convite para Subtil Prelúdio à Humanidade, o espectáculo de novo circo que vai mostrar, pela primeira vez, no palco do 20.º Imaginarius. Criado para ser visto in loco, faz parte do lote de estreias deste ano, integrando um cartaz conduzido pelo tema duplo Mito e Marca (sendo o Mito recuperado da cancelada edição de 2020). Mas o festival de Santa Maria da Feira não se faz só ao vivo — pelo menos, não para já. Em Setembro, há-de sair à rua, o seu habitat natural. Por enquanto, neste primeiro momento que decorre entre 27 e 30 de Maio, transforma-se num híbrido presencial e virtual, em que o público ora marca presença na plateia, por reserva de lugar, ora assiste em casa, através de um mapa online da cidade. Mais de 170 artistas, oriundos de cinco países, compõem o alinhamento. O acesso é livre e o programa detalhado está disponível aqui

Sexta, 28: Na Arrábida, um festival de caminhadas

Um ano e um par de adiamentos depois, o Arrábida Walking Festival está pronto a mostrar os “valores naturais e culturais” do Parque Natural da Arrábida. Uma viagem no tempo, feita de trilhos com história e vistas de tirar o fôlego, num percurso com mais de uma centena de quilómetros onde a biodiversidade vai de braço dado com a herança de mais de seis mil anos desta área protegida. A arqueologia é, aliás, o ponto de partida para esta primeira edição, reagendada para os dias 28 a 30 de Maio, numa iniciativa conjunta da Biotrails e dos Municípios de Palmela, Setúbal e Sesimbra. O programa passa pela Grande Rota Arqueológica, por percursos nocturnos na Serra do Louro, por caminhadas pelas serras de São Luís, dos Gaiteiros, de São Francisco, dos Pinheirinhos, da Azóia, da Achada e da Arrábida e por visitas ao Palácio da Bacalhôa, ao Forte de Santiago, ao Santuário de Nossa Senhora do Cabo Espichel ou à Ermida da Memória, entre outras coordenadas. Mais informações aqui